8.  O Reino do Messias e a Nova Criação

O regresso de Cristo

No auge da batalha de Armagedon, no último dia da grande tribulação, Jesus irá para a batalha num cavalo branco, acompanhado dos Seus exércitos celestiais:

"E então vi o céu aberto e, olhai, um cavalo branco. E Aquele que o montava era chamado Fiel e Verdadeiro, e em justiça julga e faz guerra. Os Seus olhos eram  como uma chama de fôgo, e na Sua cabeça tinha  muitas corôas. Êle tinha um nome escrito, que ninguem conhecia excepto Êle proprio. E estava vestido com um manto mergulhado em sangue, e o Seu nome é chamado A Palavra de Deus. E os exércitos no Céu, vestidos de linho fino, branco e limpo, seguiam n' O em cavalos brancos. Da Sua bôca saía uma espada afiada, para com ela açoitar as nações. E Êle Mesmo as regerá com um bastão de ferro. Êle Próprio pisa o lagar da ferocidade  e ira do Deus Todo Poderoso. E Êle tem escrito no Seu manto e na Sua côxa o nome:  REI DOS REIS E SENHOR DOS SENHORES." (Apocalipse 19:11 a 16)

Depois do inimigo ter sido derrotado, e do Anticristo  e do Falso Profeta e seus adeptos terem sido julgados, (Apocalipse 19:20, 21), o Diabo será prêso e guardado:

"E eu vi um anjo descer do Céu com a chave do pôço sem fundo e uma grande corrente na mão. E êle agarrou o Dragão, essa serpente que é o Diabo e Satanás, e amarrou-o por mil anos e lançou-o no pôço sem fundo e ali o fechou e lhe colocou um sêlo, para que não mais enganasse as nações até se completarem os mil anos: E depois disso deve ser solto por pouco tempo." (Apocalipse 20:1 a 3 KJV)

A descrição do amarrar do Diabo constitui extensão do cenário de Apocalipse 19, e é portanto resultado directo do regresso de Jesus. Segue-se imediatamente ao julgamento final do Anticristo e do Falso Profeta, e portanto não é acontecimento que se possa separar dêste contexto e aplicar à presente era da igreja.

Na Cruz, a vitória sôbre o Diabo foi sem dúvida ganha. Podemos aceitar êste facto  com fé, e viver uma vida de vitória sôbre o inimigo.

No entanto, isso não significa que Satanás tenha sido removido da cena a seguir ao Calvário e preso algures. Pelo contrário ! Pedro afirma que êle continua à nossa volta, rugindo como um leão, procurando a quem possa destruir (1 Pedro 5:8). Êste aviso é feito aos Cristãos, para que se mantenham sóbrios, atentos e vestidos com a armadura de Deus. Podemos viver a vitória do Calvário, se consistentemente nos mantivermos junto  ao nosso Salvador e resistirmos ao Maligno:

"Submetei-vos portanto a Deus. Resisti ao Diabo e êle fugirá de vós." (Tiago 4:7 KJV)

A paz de Deus, que nós os salvos gozamos, não sugere que estejamos já no milénio, (os mil anos de paz). A batalha presente com o Diabo e seus poderes malignos, não se pode de forma alguma reconciliar com uma situação em que êle esteja amarrado, fechado e selado para não mais enganar as nações. Não nos encontramos aínda numa posição onde reina a paz. Em vez disso, estamos envolvidos numa batalha espiritual, que se tem travado ao longo de  toda a era da igreja:

"Vestí toda a armadura de Deus, para que possais resistir às artimanhas do Diabo. Pois nós não lutamos contra sangue e carne, mas sim contra principados, contra potestades, contra os capitães da escuridão desta era,  contra hordas de malignidade nos lugares celestiais." (Efésios 6:11, 12)

Jesus afirmou, referindo-se à nossa posição neste mundo vil:

"Não penseis que Eu vim para trazer a paz à Terra. Eu não vim para trzer a paz, mas sim uma espada" (Mateus 10:34).

Na presente dispensa, a paz de Deus reina nos nossos corações e fortalece-nos para a luta contra fôrças adversas num mundo hostil: "Nós sabemos positivamente que pertencemos a Deus e que o mundo inteiro à nossa volta se encontra sob o poder do Maligno." (1 João 5:19 AB)

Na grande tribulação, os esforços de Satanás serão intensificados (Apocalipse 12:12). Êle instigará as nações do mundo a pegar nas armas, a avançar para o Médio Oriente, a tentar aniquilar Israel e mesmo a arriscar-se a lutar contra Jesus e Seus exércitos. João descreve esta instigação como segue:

"E eu vi três espíritos sujos, como rãs, sair da bôca da Bêsta e da bôca do Falso Profeta. Pois êles são espíritos de demónios operando milagres, que se dirigem aos reis da Terra e de todo o mundo, para os levar para a batalha do grande dia do Deus Todo Poderoso." (Apocalipse 16:13, 14 KJV)

É apenas durante o regresso de Cristo, que o poder dêste triunvirato satânico será destruido. Dois dos seus membros, a Bêsta e o Falso Profeta, serão lançados no lago de fôgo. O Dragão  será selado num pôço sem fundo, e entregue às correntes da escuridão, onde ficará durante mil anos.

O julgamento das nações

Mateus descreve o julgamento das nações, quando Cristo, no Seu regresso, se sentar no Seu trono de glória:

"Quando o Filho do Homem vier na Sua glória e todos os santos anjos com Êle, entâo Êle sentar-se-á no trono da Sua glória. Todas as nações estarão reunidas à Sua frente, e Êle separá-las-á umas das outras, da mesma maneira que um pastor  separa as suas ovelhas das cabras." (Mateus 25:31, 32)

Êste julgamento de Cristo, será acompanhado de uma remodelação internacional.  Entre outras coisas, será dada às nações a sua posição, ou perder-lhe-ão o direito, à base das suas relações anteriores com Israel.

A festa de casamento do Cordeiro

Depois do regresso de Cristo, a festa do casamento do Cordeiro será celebrada na Terra. João diz:

"Alegremo-nos e jubilemos e demos-LHE glória, pois o casamento do Cordeiro chegou, e a Sua esposa está preparada. E foi-lhe dado que se vestisse de linho fino, limpo e resplandecente, pois o linho fino representa as acções justas dos santos.Então Êle disse-me, escreve: Abençoados são  os que são chamados para a ceia do casamento do Cordeiro ! E afirmou: Estas são as palavras verdadeiras de Deus." (Apocalipse 19:7 a 9)

Durante a Sua vinda secreta antes da tribulação, Jesus juntar-se-á à Sua noiva. E ela será imediatamente arrebatada para ficar com o Senhor. Depois, sete anos mais tarde,  terá lugar a revelação pública de ambos. O dia glorioso  da festa de casamento do Cordeiro, será ocasião para muitos convidados, entre os quais o resíduo de Israel, que nessa altura já terá aceitado Jesus como Messias.

Nessa altura, porque Jesus trouxe a Sua Noiva consigo do Céu, e a apresentou ao mundo, a promessa feita em Colossenses 3:4 será cumprida: "Quando Cristo, que é  a  nossa vida,  aparecer, então tambem vós aparecereis com Êle em glória." Desta maneira, a Sua prometida Igreja partilhará com Êle o Seu maior triunfo – regressar como Rei a êste mundo,  para quebrar o poder do inimigo e estabelecer um reino de justiça na Terra.

O reino milenário

Durante o reino milenário, a Igreja de Jesus Cristo reinará com Êle na Terra. Os anciãos  que representam a Igreja glorificada à volta do trono em Apocalipse 5, estão à espera do dia em que regressarão à Terra com Jesus, para serem nomeados reis no Seu reino. Quando LHE entoam o seu cântico de louvor, declaram:

"Tu fôste morto, e redimiste-nos para Deus com o Teu sangue, de cada tribo, língua, povo e nação, e fizéste-nos reis e sacerdotes para o nosso Deus; e reinaremos na Terra" (Apocalipse 5:9, 10; ênfase acrescentado).

A parábola em Lucas 19:11 a 28, tambem aponta para êste reinado do Senhor Jesus com os Seus santos. O homem de autoridade que viajou para um país distante para receber o seu reino, regressando depois, aponta para Jesus. Êle é o homem nobre que não foi reconhecido e aceite como rei, a quando da sua primeira vinda. Como Servo humilde e Cordeiro de Deus, Êle deu a Sua vida pelos pecadores. Depois disso, na Sua ascenção, foi para  uma terra distante, onde Deus lhe deu um nome acima de todos os nomes e O exaltou grandemente. (Filipenses 2:9)

Quando regressar para exercer o Seu reinado, vai tambem nomear os Seus servos como reis. A um será dada autoridade sôbre dez cidades, e a outro sôbre cinco cidades, enquanto que ao servo infiel, que não cumpriu o seu dever e comparecer na Sua presença de mãos vasias, não será dada autoridade no Seu reino.

Muitas pessoas colocam erradamente êste reino no Céu. Mas o Senhor deve tambem reinar na Terra, no trono de David, em Jerusalem, e assim fazer justiça a todas as profecias a êste respeito. Antes do nascimento de Jesus, o anjo disse a Maria:

"E vê, conceberás no teu ventre, e darás à luz um Filho, e chamar-LHE-ás JESUS. Êle será grande, e será chamado  o Filho do Altíssimo; e o Senhor Lhe dará o trono de Seu pai David." (Lucas 1:31, 32)

O trono de David não está no Céu, mas sim em Israel, na cidade de Jerusalem. No entanto,  o reino milenário de Cristo não se limitará apenas a Israel, mas estender-se-á tambem às partes mais longínquas do globo. Embóra o Seu reino seja caracterizado por paz e tranquilidade, haverá aínda necessidade de se manter forte disciplina, por causa da presença de pessoas não-salvas, que sobreviveram à grande tribulação. Mas no Céu, não pode existir uma situação em que seja necessário governar com um bastão de ferro. Portanto, devemos  aceitar o facto de uma era futura do reino de Cristo na Terra, até que se atinjam as perfeitas e puras condições do novo Céu e da nova Terra.

Quando Jesus vier de novo, "o govêrno estará sôbre os Seus hombros“ (Isaías 9:6). A Sua vinda como Rei, será anunciada com o soar de trombetas e com um aviso do Céu:

"Então o sétimo anjo soou: E ouviram-se grandes vozes no Céu dizendo: Os reinos dêste mundo tornaram-se os reinos do nosso Senhor e do Seu Cristo, e Êle reinará para todo o sempre !" (Apocalipse 11:15)

Em Apocalipse 12:15, diz-se que Jesus governará todas as nações com um bastão de ferro, e em Apocalipse 2 Jesus diz aos Seus servos fiéis:

"Mas agarrai-vos ao que tendes até que Eu venha. E àquele que vencer e mantiver as Minhas obras até ao fim, a êsse darei poder sôbre as nações – Êle as  regerá com um bastão de ferro; como vasos de oleiro, serão feitas em pedaços como Eu tambem recebi do Meu Pai." (Apocalipse 2:25 a 27)

No livro dos Actos,  há uma promessa clara, de  que Jesus restaurará o trono de David durante a manifestação visível do Seu reino:                      

"Depois disto, regressarei e reconstruirei o tabernáculo de David, que caíu. Reconstruirei as suas ruinas e levantá-lo-ei, de forma a que o resto da humanidade possa procurar o SENHOR,  mesmo todos os gentios que são chamados pelo Meu nome, diz o SENHOR que faz todas estas coisas." (Actos 15:16, 17)

Durante o reino Messiânico no mundo, o trono do Senhor Jesus em Jerusalem será o ponto de contacto entre o Céu e a Terra. Será o centro da sabedoria divina e da autoridade, e um reino de justiça. Isaías faz a seguinte declaração a êste respeito: 

"Depois acontecerá nos últimos dias, que a montanha da casa do Senhor será estabelecida no cimo das montanhas, e será exaltada acima dos montes; e todas as nações se dirigirão a ela. Muitas pessoas virão e dirão Vinde, subamos à montanha do Senhor, à casa do Deus de Jacob; Êle nos ensinará os Seus caminhos, e nós  caminharemos nos Seus passos. Pois a lei sairá de Sião, e a palavra do SENHOR de Jerusalem. Êle julgará entre as nações, e admoestará muita gente: E êles transformarão as suas espadas em charruas, e as suas lanças em ganchos de podar;  nação não levantará espada contra nação, nem aprenderão mais a fazer guerra." (Isaías 2:2-4)

Nunca dantes se conseguiu manter na Terra uma situação semelhante, em que não se fazem guerras, não se oferece treino militar, e não se fabricam armamentos. Aínda se está à espera de tal situação num tempo futuro, depois do Principe da Paz ter vindo e de ter tomado o govêrno sôbre o seus hombros. Ao fazê-lo, Êle amarrará primeiro o homem forte  da era presente, chamado o  deus desta era (2 Coríntios 4:4) que, juntamente com o seu exército de demónios, são os governantes da escuridão desta era (Efésios 6:12). Porque o Diabo estará amarrado durante o reino milenário de Cristo, êle não poderá enganar as nações como faz hoje em dia (Apocalipse 20:2, 3). Consequentemente, não haverá crime ou guerra. Todas as formas de rebelião contra Deus desaparecerão, e o mundo inteiro reconhecerá e praticará então apenas a Religião Cristã:

"....A Terra estará cheia do conhecimento do SENHOR, como as águas cobrem o mar." (Isaías 11:9).

Jerusalem será aceite expontâneamente como cidade capital do mundo e não mais existirão hostilidades e tensões causadas por diferenças políticas:

"Nessa altura, Jerusalem será chamada O Trono do SENHOR, e todas as nações se juntarão nela ao nome do SENHOR, em Jerusalem: E não mais caminharão na teimosia do seu vil coração." (Jeremias 3:17)

A única forma de má conduta existente, será um certo descuido entre algumas nações, na adoração e honra ao nome do Senhor como é próprio dos seus subditos. Por êste motivo, serão governadas com um bastão de ferro, e certas acções punitivas poderão ser instituidas:

"E acontecerá, que todos aqueles que ficaram, de todas as nações que vieram contra Jerusalem, irão ano após ano  adorar o Rei, O SENHOR dos Exércitos e observarão a  Festa dos Tabernáculos. E será tambem que, aquelas das famílias da Terra que não vierem a Jerusalem para adorar o Rei, O SENHOR dos Exércitos, sôbre elas não cairá chuva." (Zacarias 14:16, 17)

Torna-se evidente desta afirmação, que embóra o Diabo não esteja presente para tentar as pessoas pecadoras, elas aínda terão uma natureza carnal, que necessita disciplina para manter um relacionamento positivo com as coisas de Deus. Essas pessoas serão  seres mortais de carne e sangue, mas que não têm corpos glorificados. Devido à sua natureza caída, necessitarão de ter a experiência espiritual da salvação, para poderem pertencer ao Senhor.

De acôrdo com Zacarias 14:16-17, terão sobrevivido à grande tribulação e à batalha de Armagedon. Embóra possam não ter aceitado o número do Anticristo, não pertencem a Cristo. Para serem salvas,  necessitam aínda de O aceitar como seu Redentor em Espírito e em Verdade. Evangelizá-las, será a responsabilidade do povo de Israel salvo, que continuará a ser  mortal, mas será formado de pessoas  nascidas de novo.       

A doutrina das duas ressurreições, transparece claramente nos acontecimentos do Apocalipse. Apenas reinarão com Cristo, aqueles que participaram na primeira ressurreição (Lucas  14:14 e 1 Tessalonicenses 4:16), incluindo os mártires da grande tribulação:

"Abençoado e santo é  aquele que participar na primeira ressurreição. A segunda morte não terá poder algum sôbre êsses, serão sacerdotes de Deus e de Cristo, e reinarão com Êle mil anos." (Apocalipse 20:6). ''...o resto dos mortos não  viveu de novo até se completarem os mil anos. Esta é a primeira ressurreição." (Apocalipse 20:5)

O  julgamento final

O Diabo, ao contrário do que acontece com o Anticristo e Falso Profeta, não será  lançado  no lago de fôgo imediatamente após a vinda de Cristo. O motivo porque é amarrado antes da sua condenação final, é que êle será solto por um curto período no fim do milénio, para descobrir o mal latente das pessoas não-salvas. Desta forma, far-se-á uma distinção clara entre essas pessoas e as salvas:

"Agora, depois dos mil anos terem expirado, Satanás será solto da prisão e irá enganar as nações de todos os cantos da Terra, Gog e Magog, para os reunir para a batalha e cujo número é como a areia do mar. Marcharam sôbre toda a largura da Terra e cercaram o campo dos santos e a cidade amada. E Deus mandou fôgo dos Céus e os devorou. E o Diabo, que os enganou, foi lançado no lago de fôgo e de enxôfre, onde estão a Bêsta e o Falso Profeta. E serão atormentados dia e noite para todo o sempre." (Apocalipse 20:7 a 10)

O fim dramático do Milénio, conclui a sexta das sete épocas do plano de Deus para o homem. São elas:

1.      A época da inocência no paraíso.

2.      A época da queda do homem guiado pela  consciência.

3.      A época da lei na história de Israel.

4.      A época da graça durante a era da Igreja (o reino escondido).

5.      A época do reino do Anticristo, durante o período da tribulação.

6.      A época da revelação do Reino de Deus na Terra (os mil anos da paz de Cristo).

7.      A época infindável da perfeição durante a eternidade.

Através dos tempos, aqueles que escolheram andar no caminho estreito, constituiram sempre uma minoria. O mesmo vai acontecer durante o próximo reino do milénio. Embóra as pessoas gozem os previlégios do reino messiânico, a sua maioria, na realidade, não se humilhará perante o Senhor para nascer de novo. Quando o Diabo fôr solto no  final dos mil anos, todos os não-salvos serão espontâneamente atraidos para êle. Devido a que não transformaram os seus corações, Satanás vai poder enganá-los e mobilizá-los para um ataque final contra Cristo e os Seus santos. Depois dessa rebelião, seguir-se-á a eterna e horrível noite de terror para o Maligno e suas hordas.

No final dos mil anos do reino milenário, vai aparecer no céu um grande trono branco. A segunda ressurreição terá lugar, e todos os que viveram sem Cristo serão julgados e condenados à morte eterna, nas chamas do Inferno. O caminho estreito e o caminho largo atingirão cada um o seu destino eterno e final, o primeiro  na Nova Jerusalem com os seus portões feitos de pérolas, e o segundo no lago de fôgo. "E quem quer que não foi encontrado inscrito no Livro da Vida, foi lançado no lago de fôgo." (Apocalipse 20:15 KJV)

A Brilhante Estrêla da Manhã 

Em Apocalipse 22:16, o Senhor diz "Eu, Jesus, enviei o Meu anjo para vos dar testemunho destas coisas nas igrejas. Eu sou a Raiz e o Descendente de David, a Brilhante Estrêla da Manhã." 

Jesus é a Raiz e o Descendente de David. Como "Raiz" de David, a Sua Divindade é afirmada – Êle é o Senhor de David! Como ''Descendente'' de David, a Sua Humanidade está envolvida no facto (Lucas 20:41-44). Êle é o Messias prometido, que nasceu da casa de David na tribo de Judá – a semente de Abraão através de quem todas as nações seriam abençoadas (Génesis 12:3). Através dos séculos, Satanás perseguiu e odiou Israel por causa das promessas que lhe foram feitas sôbre a vinda do Messias. Satanás continua aínda hoje a fazer-lhe a mesma guerra, porque o Messias de Israel, que é tambem o Salvador do Mundo, está para vir outra vez para esmagar as fôrças do Anticristo e governar como Rei!

Como Brilhante Estrêla da Manhã, o Senhor Jesus é a promessa de um novo dia, que amanhecerá sôbre êste mundo de problemas. A estrêla da manhã, tal como a conhecemos, é apenas visível durante a última parte da noite – mesmo antes da, e anunciando a madrugada. Presentemente é aínda noite, e o mundo continua a afundar-se cada vez mais na escuridão moral e espiritual. Os verdadeiros crentes vão encontrar-se com Jesus como Estrêla da Manhã, durante o arrebatamento, na quarta hora de vigia desta nêgra era, seguindo-se-lhe depois a hora mais nêgra da noite, sob o reino maléfico do Anticristo. Conforme foi profetizado, com a Sua segunda vinda Jesus "elevar-Se-á" como "Sol da Justiça… com a Salvação nas Suas asas'' (Malaquias 4:2), desfazendo toda a escuridão e introduzindo o Seu reinado milenário como Principe da Paz, Rei dos Reis e Senhor dos Senhores!  

A nova criação

Directamente depois do julgamento do grande trono branco, a  Terra será queimada, o Céu será enrolado como um pergaminho, e serão criados um novo Céu e uma nova Terra. A Nova Jerusalem, essa maravilhosa cidade que Jesus preparou para os que O amam, descerá do Céu e pousará sôbre a nova Terra.

A cidade e as suas ruas  são de ouro puro e transparente. As pedras das fundações das paredes são decoradas com jóias preciosas, como pedras de transparência cristalina,  cornélias de vermelho intenso, crisolite verde e resplandecentes safiras azuis. Nas paredes altas que cercam a cidade, há dôze portões feitos de pérolas – cada portão  feito de uma só pérola. Uma pérola, sugere uma lágrima, pois a sua formação está associada à dôr e ao sofrimento – Quando uma ostra é ferida, forma-se na ferida uma perolazinha brilhante. Quando os pés e mãos de Jesus Cristo  foram perfurados pelos pregos de ferro e Êle deu a Sua vida na cruz, os portões do Paraíso abriram-se de novo à humanidade caída. Por causa das Suas lágrimas e sofrimento,  Êle tornou-se em pérola preciosa para nós, pérola essa que é, em si mesma, o portão de entrada para a Nova Jerusalem. Através d' Êle podemos agora entrar no Reino dos Céus e deleitar-nos na glória do Senhor.

Preparação

Depois de ter visto uma breve amostra do Novo Céu e da Nova Terra em  Apocalipse 22, a atenção do leitor é agora chamada ao presente. Agora, equipado com uma nova visão do destino glorioso dos Cristãos, e do terrível destino dos iníquos, o leitor é desafiado a uma reacção nítida, e a tomar um compromisso genuino. O Senhor espera de todos os Cristãos, que estejam prontos para o dia do Seu regresso. Somos claramente chamados a uma vida de dedicação, santidade e separação do mundo vil em  que vivemos:

"E Êle disse-me: Não seles as palavras da profecia dêste livro, porque o tempo é chegado. Aquele que é injusto, deixa que continue a ser injusto; aquele que é sujo, que continue a ser sujo; aquele que é justo, que continue a ser justo; e o que é santo, que continue a ser santo. E, olhai, Eu venho rápido e a Minha recompensa vem Comigo, para dar a cada um de acôrdo com o seu trabalho." (Apocalipse 22:10 a 12 KJV)

Paulo dá a mesma mensagem aos Cristãos:

"Porque a graça de Deus que traz a salvação veio até todos os homens, ensinando-nos que, rejeitando a maldade e os desejos desenfreados do mundo, devemos viver sòbriamente, com justiça, e santamente nesta era presente, olhando para a abençoada esperança e gloriosa vinda do nosso grande Deus e Salvador Jesus Cristo, que se  deu Êle próprio por nós, para nos redimir de todo o acto rebelde e nos purificar para Si, Seu povo especial, zeloso de boas obras." (Tito 2:11 a 14).

No livro do Apocalipse, Deus tambem nos lembra que não devemos seguir o exemplo do pensamento da Babilónia da unidade a qualquer preço. De harmonia com esta ideologia, as pessoas são ensinadas a ir atraz de tudo que lhes aparece pela frente e a aceitarem todas as religiões e a suas tradições não-cristãs. Na nossa época,  que é caracterizada pela presença de duas fôrças espirituais opostas, o ideal de uma unidade global não é atingível. Em vez disso, e baseados na nossa fé no Senhor Jesus, deviamos estar preparados para uma cada vez maior polarização com um mundo vil. Uma tal atitude, necessita afastamento espiritual e moral da corrente de estilos  permissivos  e corruptos, que  hoje constitui a ordem do dia.

Não podemos ser complacentes e entregar-nos às práticas e ideologias pecaminosas dêste mundo, que está sob o jugo do Maligno. Sigamos sempe o caminho  direito e estreito. Não nos desviemos dos princípios de Deus e não nos preocupemos quando o mundo, assim como as igrejas complacentes e mundanas, nos voltam as costas. Quando Jesus esteve nêste mundo, os dirigentes religiosos tambem O perseguiram e rejeitaram, e Êle avisou-nos que os Seus discípulos atravessariam a mesma experiência (João 16:33). Os Cristãos nominais que se comprometem com o mundo, òbviamente que não serão julgados  e perseguidos. Mas no fim, pagarão  extremamente cara essa vantagem temporária.

Devido à atitude firme dos Cristãos fundamentais para com  os estilos de vida seculares, haverá inevitavelmente polarização entre êles e o mundo. É por esta razão que a amizade com o mundo é enfàticamente considerada inimizade para com Deus (Tiago 4:4 e 1 João 2:15 a 17). Portanto,  não se podem construir pontes entre as duas ideologias e estilos de vida. Cada Cristão tem de adoptar uma atitude inequívoca quanto às suas convicções.

Nêste preciso momento, e mesmo que a tribulação possa já ter começado, convidamos o leitor a abandonar o caminho da escuridão e da iniquidade e a voltar-se para o Salvador Jesus Cristo. No capítulo final da Bíblia, o Senhor diz a todos quantos quizerem verdadeiramente ser salvos:

"E deixai que o que tem sêde venha. E quem quizer, que beba de graça da água da vida." (Apocalipse 22:17)

Não espereis um só momento. Ajoelhai-vos e confessai os vossos pecados a Jesus Cristo. A Sua promesa  é que,  todos aqueles que vierem até Si, Êle de modo algum  expulsará (João 6:37). Agora, Êle está à vossa espera: "Vinde agora, e argumentemos, diz o Senhor: Embora os vossos pecados sejam como escarlata, êles serão brancos como a neve; embóra sejam vermelhos como carmesim, tornar-se-ão como a branca lã." (Isaías 1:18 KJV)

O Senhor perdoa abundantemente (Isaías 55:7 ). Mesmo que uma pessoa se tenha afastado muitas vezes,  pode aínda ter a confiança de voltar ao Senhor. Não deixeis que o Diabo impeça a vossa salvação ou restauração espiritual, com a ideia  de que os vossos pecados são demasiado grandes e mesmo  imperdoáveis. Essa é uma das suas muitas mentiras ! Confessai tudo ao Senhor e aceitai 1 João 1:9, como promessa de completo perdão e salvação. "Se confessarmos os nossos pecados, Êle é fiel e justo para  perdoar os nossos pecados e para nos limpar de toda a injustiça" (1 João 1:9). Êle deleita-se com o arrependimento de um pecador, que se Lhe dirija de coração quebrantado.

Dai testemunho da vossa  fé a outros, e adoptai uma posição pública e firme por Cristo (Romanos 10:9, 10), mesmo que vos possa trazer perseguição. Não vos envergonheis de reconhecer o vosso Redentor, e não façais segredo das grandes coisas que  Êle fez por vós. Lede a primeira epístola de Pedro, e regosijai-vos, mesmo com o sofrimento por que tiverdes de passar por causa da vossa fé. As dificuldades por que passamos nêste mundo hostil, não têm comparação com a glória eterna que em breve nos vai ser revelada. (2 Coríntios 4:16 e 5:1). O tempo que temos é já tão pouco, que não podemos perder um único momento sem estabelecermos um relacionamento correcto com o Senhor. O que fizermos agora, ou deixarmos de fazer, será decisivo para o nosso destino eterno.

No final do  livro do Apocalipse, é-nos dada a garantia de que, se nos reconciliarmos com Deus  através do Sangue do Cordeiro, o Espírito Santo colocará nos nossos corações uma ansiedade profunda pelo regresso de Jesus. O Espírito e a Noiva pedem ao Noivo Celestial: Vem Senhor Jesus ! E a Sua resposta é: Certamente Eu venho rápido ! (Apocalipse 22:17, 20).