A Hora da Escuridão – Uma Exposição do Livro do Apocalipse

Pelo Professor Johan S. Malan Tradução portuguesa ano 2000 por Julio de Andrade

Summary: O mundo está a caminhar para a hora mais negra de toda a sua história! Jesus Cristo referiu-se a essa hora, dando-lhe o nome de ''grande tribulação, como nunca se viu desde o princípio do mundo até esta data, não, nem nunca se verá'' (Mateus 24:21).

Índice

Introdução

1 - O Cristo Glorificado

2 - A Dispensação da Igreja

3 - Arrebatados!

4 - O Anticristo

5 - O Renascimento da Babilónia

6 - Israel Durante a Tribulação

7 - Guerras, Pestilências e Desastres Naturais

8 - O Reino do Messias e a Nova Criação

9 - Está Consumado!

10 - Uma Estratégia Bíblica Para a Sobrevivência Espiritual

Introdução

As referências às Escrituras, tiradas da Versâo do Rei Tiago vâo designadas no livro como (KJV), as da Bíblia Amplificada como (AB), as da Nova Versâo Internacional como (NIV) e as da Bíblia Viva como (LB).

Depois da revelação do Anticristo, será instituida uma Nova Ordem Mundial tipo babilónico. Será dado grande poder a um profeta universal falso e à sua aliança de falsas religiões de todo o mundo. A sua decepção espiritual levará o mundo à adoração geral de Satanás e dêsse Anticristo: "E todo o mundo se maravilhou e seguiu a Bêsta. E assim, adoraram o dragão que deu autoridade à Bêsta: e adoraram a Bêsta." (Apocalipse 13:3, 4).

Quando a pérfida paz e unidade  da próxima Nova Ordem Mundial tiver servido os seus fins, como conspiração política e religiosa inteligentemente  planeada para obter controlo sôbre todos os povos,  seguir-se-lhe-á sùbitamente, a mais cruel ditadura militar de todos os tempos.

Leiam neste livro sôbre a natureza e resultados dêsse satânico reinado de terror, nascido de movimentos pacifistas de duas faces, e como lhe podemos escapar. Êste livro oferece uma estratégia bíblica de sobrevivência, àqueles que não foram considerados dignos de ser libertados dêsse tempo de tribulação.

Nunca no passado foi o livro do Apocalipse mais significativo para o homem como nestes dias em que vivemos, pois estamos à beira do arrebatamento e da glorificação da Noiva de Cristo.

A seguir a  êsse  dramático acontecimento, será instituida uma traiçoeira Nova Ordem Mundial  de unidade política, religiosa e económica, chefiada pelo Anticristo. Êle reinará como falso Principe da Paz durante 3 anos e meio. O colapso súbito do seu programa humanístico de paz, dará seguimento aos dias negros da  grande tribulação, durante a qual o mundo inteiro será sujeito a uma ditadura militar sem precedentes, que durará outros 3 anos e meio. Êsse reino internacional de terror culminará na batalha de Armagedon.

Muito apropriadamente S. Paulo exortou os Cristãos a não desprezarem a palavra profética (I Tessalonicenses 5:20). E isto devia merecer toda a prioridade no nosso pensamento, nas nossas conversas e na orientação das nossas vidas, uma vez que nos dá uma perspectiva futura extremamente importante, daquilo que nos espera a todos nós. Os prègadores deviam dar ênfase real a esta mensagem, pois a ignorância das profecias bíblicas conduz ao secularismo e a uma visão pobre do significado dos acontecimentos mundiais.

A tendência das igrejas, de se virarem para o humanismo e para um envolvimento excessivo nos assuntos seculares, considerando-se contentes com uma mera forma de santidade,  pode ser atribuida a uma falta de compreensão profética dos acontecimentos dos tempos do fim. Isto evidencia-se muito particularmente, na espantosa ignorância dos perigos do movimento inter-fés, que pretende unificar todas as religiões do mundo. Muitos dos teólogos que não acreditam num reino milenário depois da segunda vinda de Cristo, substituem esta dispensa futura pela teologia do Reino agora. Êles elevam o homem em vez de elevarem o Criador, proclamam um evangelho de prosperidade e exigem liberdades sem fim – até mesmo o direito de se unirem às religiões não-cristãs. 

Por meio desta revisão do Apocalipse, propomo-nos trazer a uma melhor focagem, as perspectivas proféticas que Deus nos deu na Sua Palavra. Uma vez que a profecia bíblica é ou menosprezada ou espiritualizada na maior parte das igrejas, e dessa maneira destituida do seu significado original, (teologia de substituição), a informação que aqui apresentamos pode constituir revelação ou até mesmo grande desilusão, para algumas pessoas.  No entanto, qualquer que seja a reacção do leitor, o objectivo do autor é familiarizar-vos  com os acontecimentos vitais  relacionados com  os tempos do fim. O desconhecimento dêste assunto, torna as pessoas incapazes de compreender adequadamente, as rápidas transformações que se estão a verificar no mundo em que vivemos. A ignorância dos sinais dos tempos, resulta também  numa falta de vigilância na hora da meia noite  que antecede imediatamente  a vinda do Noivo Celestial.  

"Declaro-vos solenemente, que, quando estas coisas acontecerem, o fim desta era é chegado... Tende cuidado! Não deixeis que a Minha súbita chegada vos apanhe de surpreza; não deixeis que Eu vos encontre a viver uma vida regalada e irresponsável, a alegrar-vos com bebida e ocupados com os problemas desta vida, como todo o resto do mundo. Mantende-vos constantemente àlerta." (Lucas 21:32-36 LB)

Cristo tambem repreendeu o povo do primeiro século, por ser incapaz de discernir os sinais da Sua primeira vinda (Lucas 12:54-56). As pessoas de então eram capazes de profetizar sôbre o tempo e, quando as núvens do Mediterrâneo se moviam para terra, podiam prever que logo ia chover. Quando os ventos quentes do deserto sopravam sôbre os campos, logo preconizavam condições de calor e seca. Porque é que, então, não eram capazes de ler os sinais dos tempos? No entanto, êsses sinais são precizamente tão claros como os da própria natureza, se tivermos o cuidado de ler a Bíblia, e se usarmos a palavra profética como têrmo de referência para interpretar e antecipar os acontecimentos mundias.

De facto, podemos hoje fazer a mesma crítica à nossa geração, numa  base semelhante à que se fez aos dirigentes espirituais de Israel do século primeiro. A maior parte dos Cristãos são hipócritas – pessoas que, devido à sua falta de discernimento, ostentam apenas uma espécie de santidade.  Êles ou ignoram ou negam as verdades básicas da Palavra de Deus, e rejeitam qualquer reprimenda à sua teimosia.

A vigilância, é ingrediente indispensável na vida de um Cristão nascido de novo. Deviamos estar constantemente em guarda, contra a possibilidade de ataques e decepção, por parte do inimigo das nossas almas. Aínda, deviamos-nos esforçar por ser encontrados a trabalhar nas obras do Senhor quando Êle vier. A promessa da Sua segunda vinda, assism como os sinais indicativos dêsse acontecimento, servem de encorajamento e motivação para perseverarmos numa vida dedicada a glorificar o nosso Salvador. Devemos compreender, que não temos oportunidades ilimitadas para levar a cabo as obras que nos foram indicadas pelo Senhor Jesus, e que teremos de LHE dar conta do que cá fizémos quando Êle vier. Que preparativos espirituais fez já você, leitor, de forma a poder enfrentar Cristo com confiança no dia do Seu julgamento, não só como pessoa salva, mas tambem como servo fiel?

"Pois todos nós temos de comparecer perante o Assento do Juizo de Cristo, para que cada um de nós possa receber o que lhe é devido pelas coisas que fez enquanto esteve no corpo, quer bôas quer más." (2 Coríntios 5:10 NIV)

A palavra profética tambem insiste com os pecadores, no sentido de se apressarem a procurar refúgio no Salvador Jesus Cristo. As profecias dão muita atenção aos problemas da vida eterna e do castigo eterno, de maneira a que as pessoas possam dar a devida consideração a êsse importantíssimo assunto. Os interêsses espirituais da nossa alma, devem ter precedência total sôbre os interêsses materiais da nossa vida terrena. A eternidade espera-nos ao fim da estrada, e portanto devemos fazer agora a escolha do nosso destino final !

As profecias do Apocalipse destinam-se tambem a ser um guia, para aqueles que ficarem para tràs durante o arrebatamento e que terão de enfrentar os tempos de turbulência da grande tribulação. Em primeiro lugar, deviam correr a reconciliar-se com o Senhor. Para mais, êles terão de carregar com a imensa responsabilidade de fazer face à decepção do Anticristo e de o desmascarar como falso Cristo. Terão de estar preparados para pagar o mais alto preço pela sua fé. A sua maior preocupação deverá ser cuidar das suas vidas espirituais e não da sobrevivência física e económica numa Nova Ordem Mundial sem Cristo. E o conhecimento da palavra profética vai ser indispensável durante êsse periodo de tribulação.   

Incluimos no final dêste livro, uma estratégia bíblica para a sobrevivência espiritual durante essa hora calamitosa. É nossa oração sincera, que aqueles que na altura do arrebatamento, não tiverem ainda respondido positivamente ao convite amigo do Senhor Jesus,  de  virem até Si e  verem os seus pecados  perdoados e serem libertados da sua carga, se encham  de coragem e convicção para o fazer, nesses dias negros de prova e decepção anti-cristã que estão à nossa frente.

Universidade do Norte                                                                                                      J.S. Malan

Pietersburg

Africa do Sul