2. Inferno – Um lugar literal de tormento

Aqueles que encorajam à rejeição de Cristo, às vezes dizem que o Inferno é apenas a sepultura. Que loucura essa afirmação, quando ouvimos o homem rico gritar “estou em tormentos nestas chamas!” O ricaço não estava apenas na sepultura! Êle queria que os cinco irmãos se arrependessem “para que não fossem também cair no seu tormento.” E, notai, o arrependimento não salvaria os irmãos da sepultura. Salvá-los-ia, sim, do Inferno. Jesus falou do Inferno, como um lugar “onde os vermes não morrem e o fôgo não se extingue” (Marcos 9:48). Somos informados também, que o Inferno è “um lago de fôgo ardendo com enxofre” (Apocalipse 19:20), e que:

“...o fumo do seu tormento sobe para todo o sempre; e êles não têm descanço nem de dia nem de noite, êsses que adoram a besta e a sua imagem e todo aquele que receber a marca do seu nome” (Apocalipse 14:11).

As escrituras sôbre o Inferno são tão específicas, que qualquer que diga que o Inferno é a sepultura é um ignorante total ou um decepcionador convicto. Se quizesse, podia falar mui sabiamente sôbre Sheol ou Hades, ou Tartarus, ou Gehenna, que são as palavras da Bíblia para Inferno em Grego e Hebraico. Podia mostrar que a palavra hebraica Sheol e a palavra grega Hades, – a última usada em Lucas 16:23 na passagem sôbre o homem rico no Inferno – podia mostrar, repito, que estas duas palavras podem muitas vezes ser traduzidas simplesmente por “estado invisível.” Mas Inferno, nunca significa simplesmente sepultura. E, a maneira como o Senhor Jesus usou a palavra nesta passagem, prova que, certamente para Êle, Hades significa pura e simplesmente, o que a velha palavra Inferno sempre significou – o lugar dos perdidos.

O homem rico no Inferno, sabia por certo que não se encontrava apenas num qualquer estado espiritual e desejava assim que os irmãos fossem avisados do perigo, “para que não fossem cair também naquele local de tormento.” O Inferno é literalmente um “local de tormento,” onde os perdidos são castigados.

O Inferno não é um “estado.” É um lugar. Notai que através deste livro, Inferno está escrito com letra grande, como os nomes de outros lugares. Se Chicago, ou América, devem ser escritos com letra grande, assim deve ser escrito o nome da cidade dos danados, êsse país das almas perdidas – O Inferno. Inferno, sim, é um lugar!

Não há lugares de descanço entre a morte e o Inferno

Não vos deixeis enganar, pensando que os pecadores terão outra oportunidade de se arrependerem depois da morte. As Escrituras afirmam:

“E aconteceu, que o pedinte morreu e foi levado pelos anjos para o seio de Abraâo, e o homem rico também morreu e foi enterrado; e, no Inferno, levantou os olhos, estando em tormento” (Lucas 16:22-23).

Lázaro morreu e imediatamente foi levado pelos anjos para o Paraíso, onde se encontrou êle próprio com o amado ancião Abraâo. Não houve qualquer pausa. Não houve qualquer alma dormindo. Não houve purgatório para Lázaro. O cristão que morre, vai imediatamente para a feliz presença de Deus. Quando o ladrão da Cruz morreu, êle foi com Jesus para o Paraíso, de harmonia com a promessa de Jesus em Lucas 23:43.

Minha mãe morreu quando eu tinha apenas seis nos. Ela esteve consciente e feliz até ao último momento, falava conosco, um, de cada vez sôbre o Senhor no Céu e depois sorriu e disse “vejo agora Jesus e o meu bebé.” É certo, segundo a Bíblia, que quando um cristão morre, vai imediatamente ter com Deus. E assim é também com o pecador perdido, a caminho do Inferno: O homem rico morreu, foi enterrado, e, “no Inferno”, “levantou os olhos estando em tormento.” Não há qualquer evidência aqui, de qualquer demóra no castigo. Note-se aqui, que o tormento do ricaço durou toda a vida dos seus cinco irmãos. Não teve lugar num futuro distante. Quando um perdido morre, vai imediatamente para o Inferno e para o tormento. E isto é o claro ensinamento da palavra de Deus.

Ensinar sôbre o Limbo ou Purgatório, não consta das Escrituras

Os Católicos Romanos inventaram a doutrina de que existe um Purgatório ou Limbo, isto é, um lugar intermédio entre a morte e o Inferno. Afirmam que, depois de uma pessoa sofrer no Purgatório por algum tempo, pode ganhar o direito de ir para o Céu. Os padres católicos ensinam frequentemente, que as oraçôes, as boas obras, e o dinheiro que lhes é oferecido, garantirão a libertação dos seus entes queridos no Purgatório. Isto não passa de uma doutrina fundada na ganância sacerdotal, sem um único verso bíblico que a suporte. A Bíblia nem sequer menciona Purgatório ou Limbo, ou qualquer outro local semelhante. Jesus nunca sugeriu, que uma pessoa que morre não-salva teria alguma vez outra oportunidade de salvação. Se tu, pobre ser perdido, dás algum valor à tua alma, não esperes por qualquer compaixão, ou esperança ou nova oportunidade de salvação depois da morte. “O homem rico também morreu, foi enterrado, e, no Inferno, levantou os olhos estando em tormento.” Ali não era o Purgatório – Era o Inferno e nada mais.

O homem rico teria sorrido de satisfação por saber que havia esperança de libertação, esperança de que com oraçôes podia talvez ser retirado do Inferno. Pensar que, se pudesse talvez ser libertado por boa conduta, como acontece nas penitenciárias do nosso país, ou se pudesse pagar o preço do seu pecado e ir depois para o Paraíso com Abraâo e Lázaro, que isso lhe tornaria talvez mais fácil aguentar o fôgo e as chamas. Pode ter tido essa esperança. Pensou que podia passar entre Céu e Inferno. Foi-lhe dito o verso bíblico: “Entre nós e ti existe um grande abismo fixo, de modo que os que desejem passar daqui para ti não o podem fazer, assim como os que estão contigo não podem vir até nós.”

Mas êsse grande abismo entre o Inferno e o Paraíso ou Céu, está fixo, isto é, é permanente. Niguem pode passar de um lado para o outro! Não há qualquer Limbo, Purgatório, nenhum lugar intermédio. Para além desta vida existem apenas um Inferno eterno e um Céu eterno, eternamente separados um do outro,

Inferno – um lugar de indizível sofrimento

O tormento no Inferno é evidentemente o ponto principal desta escritura em Lucas 16. São de notar as palavras “estando em tormentos”, (verso 23), “estou atormentado nestas chamas”, (verso 24), e “tu és atormentado” (verso 25). Há tormento no Inferno!

Esta é a única visão que Deus jamais nos deu, do Inferno e do sofrimento ali existente. Que terrível! Aqui temos um homem, antigamente rico e agora pobre. Dantes, tinha tudo que o seu coração podia desejar; agora, nada mais tem que tormentos! O pedinte que estava à porta de sua casa, na terra, cheio de feridas encontra-se agora feliz no Céu. O homem rico é atormentado no Inferno.

Dôr consciente, no Inferno

Êste homem que está no Inferno, é a mesma pessoa que era na terra. Tem o mesmo tipo de mente. Reconheceu Lázaro. Lembra-se dos seus irmãos. Lembra-se de que não se arrependeu. Tem os mesmos desejos físicos que tinha na terra e anseia por uma gota de água que refresque a sua lingua! Ainda não tinha o corpo no Inferno, mas certamente retinha os sentidos do corpo.

Quando a voz benévola de Abraâo lhe respondeu do Céu e lhe disse: “Filho, lembra-te”, isto mostra-nos que a memória será um dos tormentos do Inferno. Supondo que o homem rico morreu e foi para o Inferno durante a vida de Jesus Cristo, verificamos que êle há quase 2 000 anos que se está a “lembrar”, no Inferno. Pode lembrar-se de cada um dos pecados que cometeu. Pode lembrar-se da sua ignóbil ingratidão para com Deus. Pode lembrar-se de todas e cada uma das oportunidades que teve de se salvar em vida, oportunidades que não aproveitou. Pode lembrar-se de cada doce canção de sua mãe, de todas as oraçôes dela por si, de cada lágrima da esposa ao instar com êle para se entregar ao Senhor. Pode lembrar-se um por um, de todos os pecados em que se empenhava em pensar, enquanto estava vestido de púrpura e linho fino, vivendo sumptuosamente cada dia, na terrra. O Inferno é um local onde as pessoas estão conscientes, de posse de todas as suas faculdades de mente, memória e consciência.

Não há indicação alguma de que este homem tenha, agora no Inferno, amado mais a Deus, ou tenha desejado fazer o bem, mais do que quando morreu. Ele amava os irmãos como quando estava na terra. A sua natureza não se alterou ao morrer. A sua alma não dormiu. Há sofrimento consciente no Inferno.

Corpo e alma, destruidos no Inferno

O Inferno onde os mortos estão agora, é um Inferno de almas perdidas onde as pessoas estão conscientes, enquanto os seus corpos continuam nas sepulturas na terra. Mas, no julgamento final de todos os nâo-salvos que jamais viveram no mundo, é nos dito que “o mar entregou os mortos que nêle estavam e que a morte e o Inferno entregaram os mortos que nêles estavam” (Apocalipse 20:13). Os corpos vêm da morte para a vida, para que as pessoas se possam apresentar perante Deus. O Inferno entrega o espírito morto, enquanto que a terra entrega os mortos físicos, e os corpos e as almas dos perdidos encontram-se outra vez. Esta é a altura a que Deus se refere, quando afirma:

“... que ao nome de Jesus, todo o joelho se curvará, das coisas do Céu e das coisas da terra e das coisas debaixo da terra e toda a língua confessará que Jesus Cristo é Senhor para glória de Deus Pai” (Filipenses 2:10-11).

Joelhos reais curvar-se-âo e línguas reais confessarão os seus pecados, serão levados a fazê-lo, perante Cristo e a multidão reunida. Depois, estas pessoas de corpos reais, serão lançadas no lago de fôgo. Serão atormentadas em corpo e alma. Jesus falou de corpos físicos no Inferno, quando disse:

“E não temam aqueles que matam o corpo, mas não são capazes de matar a alma: Antes, temei Aquele que é capaz de destruir tanto a alma como o corpo, no Inferno” (Mateus 10:28; o sublinhado é acrescentado).

O diabo enganou as pessoas que não conhecem a Palavra de Deus, levando-as a acreditar que o Inferno é um lugar indefenido e fantasmagórico, onde pode haver um certo desconforto, mas não real personalidade, sofrimento consciente, ou tormento físico. Que Deus nos ajude a ver que estas torturas esperam as almas condenadas, danadas e arruinadas, que rejeitam Cristo e vão para o Inferno.

Haverá fôgo literal, no Inferno?

Já vimos que o Inferno é um lugar literal, físico, onde viverão corpos físicos. A pergunta é: Haverá fôgo literal, no Inferno? A resposta do homem rico, no Inferno, é : “Estou atormentado nestas chamas.” Vez após vez, a Bíblia fala-nos do fôgo do Inferno. Jesus falou frequentemente de “fôgo do Inferno, onde os seus vermes não morrem e o fôgo não é extinguido.” Em Apocalipse 20:14-15 o Inferno é chamado “lago de fôgo”, e afirma-se ali que o Inferno, (Hades, o Inferno espírito) será “lançado no lago de fôgo”, a segunda morte. Se acreditarmos na Palavra de Deus, então temos de acreditar que, quando os corpos físicos saiem do julgamento do Grande Trono Branco, têm de ir para um lugar de fôgo.