7. Salvação

Há uma maneira defenida que o Senhor Jesus adopta para salvar os não-crentes, para os equipar para servir e para os preparar para a vida eterna no céu. A bôa vontade e total cooperação de cada um de nós, de harmonia com normas bíblicas fixas, são necessárias, se desejarmos evitar a tragédia de um falso arrependimento. Todos nós podemos partilhar da experiência extraordinária de sermos chamados pelo Senhor, da escuridão do pecado para a Sua luz maravilhosa.

1.  Chamamento

É o próprio Deus que nos mostra o primeiro passo no caminho da conversão  dos pecadores (Romanos 8:5), ao chamar os pecadores ao arrependimento (Isaías 1:18). Para tal fim, o Filho de Deus veio ao mundo para chamar a Si os perdidos e oferecer-lhes a Salvação (Mateus 11:28). Êste chamamento é dirigido a todos que compreendam ter um problema espiritual (Mateus 9:13).

É importante reconhecer que êste chamamento é dirigido a cada um de nós pessoalmente, pois tal reconhecimento determinará  a maneira como lhe respondemos. E é vital que compreendamos a extensão total do nosso problema, isto é,  que sem o Senhor Jesus caminhamos para o desastre. Não há  espaço para complacência ou auto-justificação no estado de escuridão espiritual, visto que "não há nenhum justo, não, nem um só" (Romanos 3:10). Devemos enfrentar a total natureza do pecado, especialmente  dos  pecados que nos separam de Jesus (Isaías 59:2). Não deve haver a mínima dúvida nas nossas mentes, que Deus impôs a pena de morte aos pecadores (Romanos 6:23). Todas as pessoas não-salvas  estão a caminho da condenação eterna, se não se arrependerem (Mateus 25:41). 

Quando Deus Pai nos chama através de Seu Filho Jesus Cristo,  Êle não só identifica o nosso problema e condenação, mas  oferece também a solução do problema. A bôa nova é que Deus nos ama, e que providenciou para o perdão dos nossos pecados por meio da morte propiciadora de Jesus na cruz (1 João 4:10; 1 Pedro 3:18; 2 Coríntios 5:21). O chamamento dos  pecadores por Deus, deve ser de tal maneira claro para cada um, que êles compreenderão as suas implicações, avaliando o preço de se tornarem Cristãos. Jesus fez compreender a Nicodemo, que o conhecimento teológico e uma  vida bôa, não são suficientes  para herdar o reino de Deus. Êle tinha de nascer de novo (João 3:3). A condição para se receber o perdão e a vida eterna,  é a confissão e o abandono de todos os pecados conhecidos.

O Senhor Jesus disse ao jóvem rico, que em primeiro lugar tinha de abandnar o seu amor pelo materialismo e o amor ao dinheiro, (Lucas 18:22). Era difícil a êste jóvem rico – que no entanto era muito religioso - abandonar o seu persistente pecado e, asim, partiu entristecido. Muitas pessoas acham difícil arrependerem-se, porque na verdade, não querem abandonar os seus pecados. Não é fácil passar através da porta estreita (Lucas 13:24). No entanto, trata-se de uma experiência maravilhosa e algo que devemos esforçar-nos por alcançar (Lucas 11:9).

2.  Tristeza de coração

O não-crente convicto do pecado, compreende a necessidade de se reconciliar com Deus. Encontra-se sob profunda convicção do pecado e da sua condição de alma perdida. Sente-se acusado e condenado por causa das suas acções pecaminosas. O seu remorso e sentimento de culpa levam-o a aproximar-se de Cristo – Aquele que pagou o preço morrendo numa morte cruel para a salvação dos pecadores (2 Coríntios 7:10). Quando Pedro negou Jesus, êle saiu de onde estava, foi para fóra e chorou amargamente (Mateus 26:75). Isso mostrou  verdadeira tristeza de coração pelo seu estado, o que constitui uma das condições para a obtenção do perdão.  Devemos admitir que fizemos  da nossa vida um fracasso total e confiar que o Senhor nos salve as nossas almas.

3.  Arrependimento

Quando o pecador arrependido compreende que precisa de se reconciliar com Deus, êle deve abandonar o seu anterior estilo de vida, confessar os seus pecados a Deus, (1 Joã0 1:8-9) e pedir-Lhe perdão (1 João 1:8-9); Provérbios 28:13). Os pecadores arrependidos bem assim como os Cristãos que estão a abjurar e a ser de novo controlados pelo  pecado e injustiça, devem-se preparar para abandonar por completo a sua vida anterior, por meio da confissão e abandono de todos os pecados (Lucas 15:18; 18:13; Salmo 51:5-6,9). Quando nos arrependemos perante o Senhor Jesus, devemos acreditar:

·       Que Êle é o verdadeiro Deus e vida eterna, e o único salvador do mundo (1 João 5:20; Lucas 19:10).

·       Que apenas nos podemos reconciliar com Êle através da Sua morte na cruz (Colossenses 1:20).

·       Que temos de nos arrepender e confessar os nossos pecados para obter o Seu perdão (Mateus 9:13; Actos 17:30).

·       Que Êle é capaz de fazer de nós novas criaturas, que as coisas velhas podem ser abolidas e que tudo pode ser feito novo (2 Coríntios 5:17) e…

·       Que o Senhor Jesus nos compra com o Seu sangue quando nos salva, e que desde essa altura Lhe pertencemos para ser por Êle usados (1 Coríntios 6:19-20; 1 Pedro 1:18-19).

4.  Justificação

Há dois aspectos da salvação dos pecadores: O perdão e apagamento dos seus pecados  (justificação) e o recebimento de uma nova vida (novo nascimento). Êstes dois aspectos estão ìntimamente ligados, porque a humanidade perdida está espiritualmente morta em consequência do pecado e do seu afastamento de Deus. Necessita de ser justificada e de receber vida. A base da justificação do ser humano é a morte substituinte de Jesus na cruz, onde Êle pagou a penalidade pelos nossos pecados, para demonstrar o Seu amor e graça a um mundo que está a morrer (Romanos 3:23-25; Isaías 53:5; Efésios 1:7). Todo o pecador tem uma lista de pecados que o condena, e nos têrmos da qual  Satanás o acusa e reclama a sua vida. Jesus, na cruz, anulou tal lista de acusações (Colossenses 2:13-14).

5.  Renascimento

A clara exortação bíblica ao novo nascimento, é do mais alto significado na salvação dos pecadores. Com êste conceito, Deus ensina-nos claramente que, devido  ao pecado e ao afastamento de Deus, estamos espiritualmente mortos e necessitamos d' Êle para nos dar vida. A nossa natureza de "velho Adão" é uma natureza pecadora caída, que Deus afirma não poder ser melhorada ou alterada, de forma que  temos de nascer de novo para nos tornarmos novas criaturas que possam herdar o reino de Deus (João 3:3; 2 Ccoríntios 5:17). Durante o renascimento, somos batizados para dentro do  corpo de Cristo pelo Espírito Santo (1 Coríntios 12:13). Tornamo-nos assim parte do corpo. O novo nascimento é  também uma ilustração da vida ressurgidora do Senhor Jesus (1 Pedro 1:3; Tito 3:5-6).

O primeiro passo que uma pessoa nascida de novo deve dar, é dar testemunho da sua salvação. De acôrdo com Romanos 10:9-10, devemos confessar o Senhor Jesus com a bôca, se estivermos verdadeiramente salvos. A primeira confissão é ao próprio Cristo, quando O recebemos como nosso Salvador. Depois damos   também  a outras pessoas  o testemunho que Êle salvou as nossas almas pela Sua graça.

O testemunho do novo nascimento é dado também ao sermos batizados como crentes – isto é, depois da salvação, - conforme comando de Cristo (Marcos 16:15-16; Mateus 28:19). O testemunho da fé no Senhor Jesus como nosso Salvador, é condição clara para o batismo, como se mostra em Actos 8 no batismo do Eunuco: "Então, ao seguirem pela estrada  abaixo, encontraram água. E o eunuco disse – Olha, aqui está água. Que é que me impede de ser batizado? E Filipe disse então – se acreditas com todo o coração, podes. E êle respondeu e disse – acredito que Jesus Cristo é o Filho de Deus" (Actos 8:36-37). Depois de confessar, foi batizado. Paulo e outros convertidos também foram batizados pouco depois da sua salvação (Actos 9:18; 10:47-48; 16:31-33). O batismo de água não os salvou, mas apontava simbòlicamente para o seu batismo espiritual durante a salvação. Da Grande Comissão em Mateus 28:19, conclui-se claramente, que à salvação se segue o batismo e depois instrução intensiva na Palavra de Deus, com vista a fazer novos discípulos que possam levar outros a Cristo. Devemos seguir diligentemente os vários passos no caminho da salvação, se desejarmos beneficiar da bênção total do Senhor nas nossas vidas.

6.  Santificação

Os membros nascidos de novo pertencentes à verdadeira Igreja de Jesus Cristo, são aconselhados a negar-se a si mesmos, a serem cheios do Espírito Santo, a viver sòbriamente e de maneira santa e a produzir fruto próprio do arrependimento. O primeiro princípio da santificação e da vida de discípulo, é a auto-negação e o carregar com a cruz  (Lucas 9:23; Galatas 6:14). De acôrdo com Lucas 14:27-33, a cruz da auto-negação diz respeito a contar o preço da vida de discípulo. Uma pessoa deve escolher entre a gratificação dos desejos da carne (a velha natureza com as suas inclinações mundanas) e o serviço do Senhor Jesus de alma e coração, sob a orientação  do Espírito Santo. Se a gente se submeter totalmente ao serviço do Senhor, Êle encher-nos-á com o Seu Espírito Santo (Efésios 5:18). Com o poder do Espírito Santo torna-se possível viver uma vida produtiva e fazermos a vontade de Deus.

7.  Glorificação

O passo final para uma salvação completa é a glorificação. Isto acontece a quando da primeira ressurreição, quando todos os verdadeiros Cristãos receberão corpos imortais, ressurrectos, glorificados. (1 Coríntios 15:51-52). Os pormenores completos da nossa condição glorificada no céu, aínda não nos foram revelados, mas nós sabemos que, quando Jesus aparecer, seremos como Êle. Êle é o Noivo da Sua igreja e o Rei dos reis, e partilharemos da Sua glória (Filipenses 3:20-21; 1João 3:2,3). Em antecipação da nossa glorificação, agora devemos estar preparados para a nossa próxima vida no céu, sendo puros e santos. O nosso estado espiritual presente, determina a nossa posição futura. Além de termos nascido de novo, devemos viver vidas de dedicação ao Senhor cheias do Espírito. Depois  receberemos a prometida recompensa, quando  Jesus julgar as nossas obras no Senhor (2 Coríntios 5:10). 

Compromisso pessoal

Estou cheio de gratidão por o Senhor ter salvo a minha alma pela graça e ter escrito o meu nome no Livro da Vida. Maravilho-me ao pensar no alto chamamento de Deus em Jesus Cristo. A salvação é apenas o princípio do caminho da santificação e serviço no reino do céu. Dedico-me inteiramente à obediência a êste chamamento. Possa a minha vida constituir vaso limpo, através do qual a luz de Cristo brilhe nêste mundo de escuridão. A finalidade suprema da minha vida é ser um discípulo dedicado do Senhor Jesus, que nunca deixará de proclamar o Seu louvor. Que alegria reconhecer, que se marchar no caminho do meu chamamento, o Senhor Jesus estará sempre comigo, mesmo até ao fim dos tempos.

Perguntas

1.  Qual é o chamamento de Deus aos pecadores?

2.  Explique a necessidade de um coração entristecido.

3.  Que quer dizer nascer de novo?

4.  O que é a glorificação que o Senhor promete?