5. Satanás e o seu Reino

O reino das trevas é uma realidade àcerca da qual toda a gente devia ser informada. Satanás e os seus demónios – os anjos caídos que foram expulsos do céu por causa da sua rebelião contra Deus – estão empenhados numa batalha feroz contra Deus e o Seu reino, nos seus esforços para conseguir poder e reverência.

É importante notar, que Satanás é  progressivamente exposto na Bíblia, pelas suas obras e pelos nomes descritivos que lhe são dados. E tais nomes são, mais aínda, outros tantos indicativos dos seus motivos, estratégia e mau carácter. Satanás e os seus demónios operam a partir de esferas místicas no abismo, (Lucas 8:31), e também de reinos celestiais (Efésios 6:12), mas preferem esconder a sua verdadeira identidade para poderem obter mais larga aceitação. Inicialmente, adoptaram a identidade de vários ídolos, e mesmo de espíritos ancestrais, para conseguirem que as pessoas, na sua ignorância, os adorassem, dedicando sacrifícios a tais deuses e espíritos. Esta prática espalhou-se largamente durante muitos séculos. Nos tempos do Novo Testamento, os Cristãos são agora sèriamente avisados contra todas as formas de idolatria, pois elas não passam de cortina de fumo por tràs da qual os demónios se escondem (1ª aos Coríntios 10:19-21).

Durante o Velho Testamento, as nações ateias adoravam diversos Baals, Ashtoreths e outros ídolos (Juizes 2:11-13; 1 Samuel 12:10) e levavam com frequência Israel a participar nessas falsas religiões. A idolatria era praticada juntamente com outras actividades ocúlticas, como o espiritismo, a adivinhação, a magia  e  a bruxaria, todas elas obras da escuridão com que Satanás engana as pessoas. Israel foi claramente avisado contra estas práticas demoníacas (Deuteronómio 18:10-14). E a Astrologia é condenada da mesma maneira (Isaías 47:12-14).

No Velho Testamento há também conceitos que estão mais directamente ligados a Satanás e aos seus demónios, e até exemplos de verdadeiro Satanismo. A palavra hebraica sa-ir  significa diabo ou demónio (Levítico 17:7; 2 Crónicas 11:15). No Dicionário Conciso Hebraico e Aramaico do Velho Testamento, a palavra sa-ir é traduzida por "diabo cabeludo com forma de bode". Entre os satanistas, o diabo é ilustrado como um bode nêgro, criatura semelhante a um ser humano com cabeça de bode, ou como um ser abominável de face humana distorcida e de cornos de bode na cabeça. O Velho Testamento também usa a palavra shed em vez de diabo.  (Deuteronómio 32:17). No Salmo 106:37-38, é descrita uma forma antiga de Satanismo, em que havia pessoas que sacrificavam os filhos a demónios. Nêste caso, ídolos e demónios são considerados o mesmo.

 Como  clara e directa revelação de Satanás, o seu nome apenas aparece nuns poucos lugares do Velho Testmento. Satanás significa Adversário ou Inimigo, salientando isto o facto de êle ser o grande adversário de Deus e dos crentes (1 Crónicas 21:1; Zacarias 3:1). Nêstes versos mencionam-se dois nomes descritivos de Satanás – provocador (KJV) e oponente.

No Novo Testamento são usados ambos os nomes – Satanás e Diabo. Diabo vem do nome grego diabolos significando caluniador ou falso acusador. Outros nomes usados no NT para o diabo são: o maligno (Mateus 13:19), mamão o deus do dinheiro (Lucas 16:13), anjo da luz (2ª aos Coríntios 11:14), o enganador (Apocalipse 12:9) o pai da mentira (João 8:44) Apolion, o destruidor (Apocalipse 9:11), Belzebú, o deus-môsca ou deus da porcaria (Mateus 12:24), Belial o deus sem valôr (2ª aos Coríntios 6:15), o acusador (Apocalipse 12:10), o assassino (Joã0 8:44), o principe do poder do ar (Efésios 2:2), o rei dêste mundo (João12:31), o tentador (1 Tessalonicenses 3:5), a serpente (Apocalipse 12:9), o dragão (Apocalipse 12:9), leão rugidor (1ª de Pedro 5:8) e o deus desta era (2ª aos Coríntios 4:4).

Satanás dirige o reino das trevas e tem muitos espíritos malignos ou demónios sob o seu comando. Desde a Queda do homem, êle também controla e maneja os não-salvos, que se encontram espiritualmente mortos e se inclinam  para êle. Deus liberta-nos dêste poder das trevas (Colossenses 1:13). O Diabo faz todos os esforços ao seu alcance para se apoderar da criação de Deus e para a destruir. Êle também tenta evitar a restauração da imagem de Deus nos seres humanos, cegando-os espiritualmente e escravizando-os ao pecado. O seu objectivo final é ser adorado e servido em lugar de Deus (Apocalipse 13:2-4). Êle tencioina nomear o Anticristo (falso Cristo) para uma posição de grande autoridade como rei do mundo. Êle também tenta opor-se ao Espírito Santo e substituí-l'O, influenciando e controlando as pessoas espiritualmente, por meio de espíritos enganadores e doutrinas de demónios (1 Timóteo 4:1).  Nós precisamos de toda a armadura de Deus, para podermos fazer frente aos planos do Diabo, pois êle e os seus demónios são os dirigentes da escuridão desta era (Efésios 6:11-12).

A  posição de poder espiritual que Satanás atingiu na terra, resulta da Queda do homem. Todas as pessoas nascem com uma natureza pecadora, e portanto participam na rebelião de Satanás contra Deus. Estão espiritualmente mortas e são moralmente depravadas (Romanos 3:10-18). Mesmo depois da vinda de Cristo, a maior parte das pessoas aínda prefere a escuridão à luz,  porque as suas obras são vis (João 3:19). É por isso que o Diabo é chamado dirigente e também deus dêste mundo caído e mau (João 14:30; 2ª aos Coríntios 4:4). João afirma que o mundo inteiro está sob a influência do maligno (1 João 5:19). A sua influência é extensa. Satanás utiliza vários métodos para enganar espiritualmente a humanidade, entre os quais os seguintes são os mais importantes:

Falsos profetas. Na sua forma mais disfarçada, Satanás  ataca a Igreja de Cristo infiltrando-a com falsos profetas, que pretendem ser apóstolos e ministros de Cristo (2ª aos Coríntios 11:14-15 – veja Mateus 7:15; 1 João 4:1). Êles distorcem e falsificam por completo a Palavra de Deus, para enganar o povo (2ª aos Coríntios 11:13-15) e para o levar a caminhar na escuridão.

Falsas religiões. De uma maneira mais directa, a humanidde é enganada por falsas religiões e levada a adorar ídolos, que não passam de demónios disfarçados. Qualquer pessoa que participe em tais sacrifícios tem comunhão com demónios (1ª aos Coríntios 10:19-20). Os sem-Deus não se apercebem de que Satanás os enganou desta maneira. Êle cegou as suas mentes de forma a não quererem adorar a Deus através de Jesus Cristo (2ª aos Coríntios 4:4).

Poderes ocultos. Satanás revela-se aínda em práticas ocúlticas e místicas. Êle não associa  abertamente tais práticas  ao seu nome e reino, para que as pessoas possam ser mais fàcilmente enganadas e infiéis a Deus. O poder de Satanás é espalhado e promovido por meio da magia, bruxaria, espiritismo, astrologia, meditação transcendental, cartomância, projeção astral, clarividência, persepção extra-sensorial etc. 

Satanismo. A manifestação directa de Satanás – devido à inerente repugnância da ideia – pode ocorrer apenas com pessoas profundamente enganadas, moralmente decadentes e espiritualmente degeneradas. No passado, estas manifestações directas limitavam-se a um número relativamente pequeno de grupos de pessoas. Mas, durante as duas últimas décadas, o seu número aumentou grandemente em todo o mundo. Satanás e os seus demónios revelam-se em toda a sua abominação, maldade e sêde de sangue, exigindo adoração. Durante o próximo periodo de tribulação, esta prática vai notar-se largamente (Apocalipse 9:20; 13:4).

Embora Jesus Cristo tenha derrotado Satanás na cruz, êle não está aínda amarrado no abismo, nem foi aínda removido do campo de batalha espiritual. Cristo pode destruir as suas obras nas  nossas vidas (1 João 3:8) e, pelo poder do Espírito Santo, nós podemos sair vitoriosos na luta contra as suas tentações e ataques (Efésios 6:11). Mas, temos de nos manter vigilantes e vestir a armadura da luz (Romanos 13:12). O Diabo só vai perder a sua posição de rei do mundo vil, a quando da Segunda Vinda de Cristo, altura em que será amarrado e lançado no abismo sem fundo (Apocalipse 20:2-3). Até essa altura, a luta continua.

Estratégias de Satanás

Há várias estratégias que Satanás utiliza para enganar as pessoas e para as submeter ao seu poder:

Adversário. No primeiro e mais importante aspecto da luta da fé, o Diabo é descrito como o adversário dos Cristãos, que procura a nossa queda ou dano em todas as esferas das nossas vidas (1 Pedro 5:8-9). Êle tem em mente destruir a nossa saúde, a nossa propriedade o nosso casamento e tudo mais que posuimos, num esfôrço para nos tornar espiritualmente frios e levar-nos a toda a espécie de  acções irresponsáveis.

Tentador. O Diabo leva as pessoas a cometer pecados morais, atraindo-as por meio da sua natureza não-regenerada e desejos da carne. Temos de nos guardar contra estas tentações (Mateus 26:41), procurar a ajuda do Senhor (Hebreus 2:18; 4:15-16) e abandonar a velha natureza, mortificando a aliada de Satanás, que é a carne (Romanos 6:6; 8:13).

Enganador. Como enganador, o primeiro alvo do Diabo é distorcer a verdade sôbre Deus e a Sua Palavra, e espalhar várias mentiras àcerca do Cristianismo. Êle faz isso semeando  dúvidas  sôbre as verdades Bíblicas na mente das pessoas, promovendo assim a decepção e apostasia espiritual (Mateus 24:4-5,24; 1 Timóteo 4:1;  2ª de Pedro 2:1-2; e 2 Coríntios 11:13-15).

Ladrão. Satanás pretende roubar os Cristãos, empobrecendo-os espiritualmente e materialmente (João 10:10). Êle procura a nossa queda e a perda da nossa corôa ao serviço do Senhor (Apocalipse 3:11; 2ª de João v.8; confira com Hebreus 12:15-17). O melhor é restaurar o nosso relacionamento com o Senhor, pois Êle perdoa com abundância (Isaías 55:7) e não continua zangado connosco quando nos arrependemos (Jeremias 3:12).

Acusador. O Diabo também ataca os crentes, acusando-os activamente (Apocalipse 12:10). Êle acusa os Cristãos junto do trono de Deus, depois de os ter tentado com êxito ou enganado. No entanto, se abandonarmos imediatamente  os nossos pecados e os confessarmos, (1ª de João 2:1-2), temos um Advogado junto do Pai no Seu trono no céu, a pedir por nós. Satanás também  semeia sementes de discórdia entre os Cristãos, levando-os a acusarem-se uns aos outros e assim prejudicando o trabalho do Senhor. Devemos resistir a incitamentos desta natureza (Colossenses 3:13). Devemos opôr-nos aos profetas falsos, e viver com sabedoria com os nossos irmãos na fé, aguentando e perdoando-nos uns aos outros (Galatas 6:1-2).

Compromisso pessoal

Comprometo-me a não dar lugar ao Diabo na minha vida (Efésios 4:27 e a vestir toda a armadura de Deus para poder fazer frente a todas as suas armadilhas. Quando êle me atacar,  tentar, ou procurar roubar-me, submeter-me-ei  em oração a Deus, e resistir-lhe-ei (Tiago 4:7). Quando me refugiar no Conquistador, o inimigo fugirá. Dou graças ao Senhor por me livrar diàriamente do maligno (Mateus 6:13). Compreendo a natureza grave da batalha contra o pecado, contra o mundo e contra o Diabo, e compreendo também, ao mesmo tempo, que há graça abundante para me manter de pé na batalha.

Perguntas

1. Como é que o Diabo se revelou no Velho Testamento?

2. Indique e explique cinco nomes descritivos do Diabo no Novo Testamento.

3. Quais são os quatro métodos ou instituições usados por Satanás no seu trabalho subversivo?

4. Indique e discuta cinco estratégias usadas por Satanás no seu trabalho subversivo.

5. Como é que o Diabo utiliza as religiões falsas, para atingir os seus objectivos?