18. A Segunda Vinda De Cristo

Para compreendermos correctamente a Segunda Vinda de Cristo, temos de discernir com clareza as suas duas fases, isto é, o regresso de Cristo para levar os Seus santos, (os crentes nascidos de novo) e o Seu regresso com os Seus santos. Na primeira fase, a vinda do Noivo celestial será inesperada, como um ladrão na noite. Êle encontrar-se-á com a Sua noiva no ar, levando-a ràpidamente para lugares celestiais (João 14:2-3; 1 Tessalonicenses 4:16-17).Todos os verdadeiros Cristãos serão arrebatados ou levados ràpidamente para se encontrarem com o Senhor no ar (1 Tessalonicenses 4-17). Na segunda fase, o Seu aparecimento será público e todo o ôlho O verá (Apocalipse 1:17). Será acompanhado pela noiva, bem como por um exército celestial e pousará os pés sôbre o Monte das Oliveiras (Zacarias 14:4-5; Apocalipse 19:11-15).

Glorificação e arrebatamento

A glorificação dos Cristãos começará no momento em que a trombeta soar, os santos mortos ressuscitarem em corpos incorruptíveis e os santos vivos forem tranformados num instante, para receberem os seus corpos glorificados (1 Coríntios 15:51-53). Quando isso acontecer, teremos corpos Imortais glorificados como o de Cristo (1 João 3:2), mas Êle será de longe superior a nòs, pois é O cabeça da igreja (Efésios 5:23). Isso acontecerá num abrir e fechar de olhos, visto entrarmos numa nova dimensão de existència (Filipenses 3:20-21).

Imediatamente depois dos crentes mortos terem sido arrebatados e, com os crentes vivos, terem sido vestidos com corpos glorificados, Cristo levá-los-á todos para o céu para ficarem Consigo para sempre (1 Tessalonicenses 4:14-17). Notemos, que êste encontro será no  ar, e envolve apenas Cristãos nascidos de novo. O Senhor Jesus  não desce sôbre o Monte das Oliveiras e se revela ao mundo nesta altura, mas sim regressa imediatamente com a noiva para a Casa de Seu Pai no céu. A expressão apanhados para cima, usada por Paulo em 1 Tessalonicenses 4:17 (arpazo em grego) significa claramente ser arrebatado ou levado ràpidamente.

Um conceito que está intimamente ligado ao arrebatamento, é o da primeira ressurreição. Nêste acontecimento, o Senhor Jesus vem para ressuscitar apenas Cristãos nascidos de novo; é por isso que Paulo diz que “os mortos em Cristo ressuscitarão primeiro” (1 Tessalonicenses 4:16). Absolutamente nada se diz aqui sôbre a ressurreição  dos não-crentes, injustos mortos. Uma vez que uma primeira ressurreição implica a existência também de uma segunda, e uma vez que sabemos que tanto os justos como os injustos serão ressuscitados (Actos 24:15) segue-se que os injustos mortos serão ressuscitados numa ulterior ressurreição. Apocalipse 20 diz que mil anos vão separar as duas ressurreições. João refere-se a todos os santos que vão ressuscitar na primeira ressurreição, como sendo aqueles que reinarão como reis com Cristo durante o Milénio (Apocalipse 20:4-6).

Escapada

À luz das circunstâncias que vão prevalecer na Terra, o arrebatamento oferece aos Cristãos um escape aos ameaçadores julgamentos do Senhor. À medida que a hora do arrebatamento se aproxima, vamos notar um período nêgro de vasta decepção espiritual. Os Cristãos Evangélicos vão ser declarados não-cristãos, sem amor e condenadores e serão desprezados. Serão considerados profetas da destruição por proclamarem a iminência dos julgamentos de Deus a cair sôbre o mundo durante a grande tribulação. Serão também considerados desleais à causa Cristã, por causa da sua recusa em aderir ao movimento ecuménico e não aceitarem as reformas unificadoras do Movimento Nova Era. À medida que a revelação do Anticristo se aproxima, os verdadeiros Cristãos vão ser alvo de imensas pressões, intimidação e ameaças. No entanto, êles devem ter coragem, lembrando-se da promessa que os verdadeiros filhos de Deus nascidos de novo, escaparão à próxima tribulação (Lucas 21:36. De acôrdo com Apocalipse 3:10, nós vamos ser libertados dessa hora).

O Senhor oferece-nos claramente um escape aos próximos julgamentos a cair sôbre o mundo. O período da tribulação vai ser definitivamente um período de julgamento divino. Quando os poderes do céu forem abanados e os corações das pessoas estremecerem com mêdo e na espectativa de desastres aínda maiores, as pessoas entrarão em pânico e fugirão para as montanhas, pedindo-lhes e às rochas que as escondam da face do Cordeiro (Apocalipse 6:15-17). Se olharmos e orarmos atentos, seremos espiritualmente dignos de escapar a tais julgamentos (Lucas 21:34-36). Nunca na história derramou Deus alguma vez os seus julgamentos sôbre os crentes.

Embora o arrebatamento seja uma ocorrência única, a Bíblia dá-nos exemplos de ocasiões em que Deus derramou a Sua ira, mas providenciou ao mesmo tempo uma via de escape para os crentes, visto que êles não são o objeto da Sua ira (Génesis 6:5-14). Pouco tempo antes do derramamento dos julgamentos de Deus no tempo de Noé, oito crentes escaparam da área do julgamento, entrando na arca. O Próprio Deus fechou a porta atràs dêles, antes de julgar os iníquos que tinham desprezado a Sua via de escape (Génesis 7:16-23).  

No tempo de Lot, registou-se outra operação de salvamento. Na noite antes de Sodoma e Gomôrra  serem destruidas, Lot e a família receberam ordem urgente para abandonarem a área marcada para a destruição. Anjos insístiram com Lot para sair de Sodoma, ajudando-o e à família a fazer isso mesmo antes da destruição da cidade. Pouco depois da sua saída, fôgo e enxôfre  choveram sôbre os sem-Deus (Génesis 19:13-17; 22-25). O Senhor Jesus diz que há uma relação clara entre êstes acontecimentos históricos e a maneira como, no fim dos tempos, Deus vai lidar com crentes e não-crentes (Lucas 17:26-30; veja-se também Génesis capítulos 6,7 e 19).

Depois de Cristo ter arrebatado secretamente a Sua igreja, Êle vai derramar julgamentos do Seu trono no céu sôbre o mundo ateu (Apocalipse 6:19). A igreja glorificada juntar-se-á então à volta do Seu trono (Apocalipse 4:4; 5:9-10). No final dos sete anos de tribulação, Jesus Cristo  voltará à Terra e será revelado a todo o mundo (Zacarias 14:4-5; Colossenses 3:4). Esta será a segunda fase da Sua vinda.

O Seu aparecimento público

No último dia da gande tribulação, durante a batalha de Armagedon, Jesus Cristo vai aparecer montado num cavalo branco, seguido de um exército celestial de anjos e dos Seus santos, para enfrentar os Seus inimigos numa batalha curta mas decisiva. (Apocalipse 19:11-21). A Segunda Vinda de Jesus, que é descrita em Apocalipse 19, vai ser como um relâmpago que se pode ver de toda a parte. Mas, fìsicamente, Êle voltará à cidade de Jerusalém (Zacarias 14:4-5). A escuridão dos julgamentos de Deus descerá sôbre todo o mundo. O Senhor destruirá os inimigos com a espada que sai da Sua bôca. Proferirá uma única palavra que levará à sua destruição. E, na confusão seguinte, matar-se-ão uns aos outros (Zacarias 14:2-4; 12-13). E então verificarão que é uma coisa terrível cair nas mãos do Deus vivo (Hebreus 10:31; Isaías 13:9-12; Joel 2:2,11; 3:2), visto que foram suficientemente loucos para Lhe declarar guerra (Apocalipse 19:19).

Em Apocalipse 19:20 declara-se abertamente que o Anticristo e o falso profeta serão ambos capturados no dia da Segunda Vinda de Cristo, e lançados vivos no lago de fôgo. O local onde esta confrontação e julgamento vão acontecer é do maior significado do ponto de vista bíblico. De acôrdo com Joel 3, o local será o Vale de Jehoshaphat, que é o Vale Kidron, entre o Monte das Oliveiras e o Monte do Templo. Jehoshaphat significa  O Senhor julga. Depois disto, Satanás será amarrado num pôço por mil anos (Apocalipse 20:1-3). A descrição do amarrar do diabo é uma extensão do cenário de Apocalipse 19, e é, portanto, o resultado directo do regresso de Jesus. Segue-se imediatamente ao julgamento final do Anticristo e do falso profeta e portanto não é acontecimento que possa extrair-se dêste contexto e ser aplicado à presente dispensação da igreja.

A festa de casamento do Cordeiro

Depois do regresso de Cristo, celebrar-se-á na Terra a festa de casamento do Cordeiro (Apocalipse 19:7-9). Durante a Sua Segunda Vinda, o Senhor Jesus  já se terá unido à Sua noiva, arrebatada para o céu sete nos antes. A consumação do casamento no céu estará então completa, mas a festa de casamento terá aínda de ser celebrada. O remanescente salvo de Israel estará entre os convidados para esta gloriosa ocasião e a sua alegria será completa.

Com a Segunda Vinda, a noiva partilhará no momento supremo do grande triunfo de Cristo, quando Êle regressar à Terra como Rei dos reis e Senhor dos senhores para esmagar o poder de todos os Seus inimigos e estabelecer um govêrno de rectidão em que os Seus servos reinarão Consigo. Êle restaurará o trono de David em Jerusalém (Actos 15:16-17) e instituirá o Seu reino de paz de mil anos. Aqueles que se provar que foram servos bons e fiéis do Senhor durante a presente dispensação, serão nomeados para posições especiais no Seu reino (Lucas 19:17,19).

Nós temos agora oportunidade para nos dedicarmos ao Senhor e trabalhar para Êle (2 Coríntios 5:10). Na altura da Sua Segunda Vinda, Êle recompensar-nos-á pelas nossas obras de fé, e nomear-nos-á governadores Consigo no Seu reino milenário. Êle espera dos Seus servos que não sejam preguiçosos no Seu reino e que não apareçam perante Si de mãos vasias (Lucas 19:20-23). Mas que venham a ser considerados fiéis, de maneira a poderem continuar a ser usados por Êle no Seu reino e a serem-lhes confiadas maiores responsabilidades.

Compromisso pessoal

O meu grande propósito na vida, é fazer as obras d’Aquele que me enviou enquanto é dia, pois a noite dos julgamentos de Deus está próxima e então ninguém pode trabalhar.Possa o Senhor Jesus encontrar-me ocupado a executar os Seus comandos, quando vier para nos levar para a nossa morada celestial. Quando estamos em Cristo, não temos receio dos julgamentos, pois não há condenação para aqueles que estão em Cristo Jesus, e que não caminham segundo a carne mas segundo o Espírito (Romanos 8:1). Nós não seremos julgados, pois já passámos da morte para a vida (João 5:24). Que coisa maravilhosa esperar por êsse dia, em que Jesus Cristo vem buscar a Sua noiva para escapar a todos os julgamentos que virão sôbre os pecadores e podermos estar de pé perante o Filho do Homem! Ela vai sentir alegria indescritível – nenhum ôlho viu, nem ouvido algum ouviu, nem sequer entrou no coração do homem, as coisas que Deus tem preparadas para os que O amam! (1 Coríntios 2:9.

Perguntas

1.      Indique as duas fases da vinda de Cristo.

2.      Descreva o arrebatamento como forma de escape.

3.      Onde vai Cristo aparecer durante a Sua revelação públlica?

4.      Que fará Êle depois disso?

5.      Quem acompanhará o Senhor Jesus na Sua Seguinda Vinda?