17. Os Sinais Dos Tempos

Existe na Bíblia um vasto corpo de informação profética, relacionado com acontecimentos de maior vulto a ocorrer no mundo antes e durante a Segunda Vinda de Jesus Cristo. Êstes sinais dos tempos ajudam-nos a compreender o desenrolar do plano divino de Deus para a humanidade, de forma a podermos estar melhor preparados para futuros acontecimentos.O Senhor espera de nós que demos atenção a êstes sinais, pois as suas mensagens são tão claras como os sinais da natureza (Lucas 12:54-56).Os israelitas sabem que, quando as núvens começam a juntar-se do lado do Mediterrâneo no Ocidente, vão ter chuva. E que, quando um vento sul forte sopra através das planícies do quente deserto de Negev, vão ter um dia muito quente. As pessoas que não querem interpretar os sinais dos tempos, são chamadas hipócritas – pessoas espiritualmente cegas, ignorantes do que o Senhor lhes está a comunicar através da realização óbvia das profecias bíblicas

No entanto vai haver um elemento de surpreza no arrebatamento, pois a maior parte dos sinais apenas terá o seu cumprimento final durante os sete anos de tribulação entre o arrebatamento e a Segunda Vinda de Cristo. Mas êstes sinais vão tornar-se cada vez mais claros, à medida que se aproxima a hora do arrebatamento, que é a vinda secreta do Noivo celestial, para levar Consigo do mundo todos os verdadeiros crentes (Lucas 21:36; João 14:2-3; 1Tessalonicenses 4:16-17). Devemos ser  capazes de discernir  o princípio dêstes sinais, como indicação de que a hora da nossa partida está para breve (Lucas 21:28). Os seguintes são os mais importantes sinais do tempo do fim:

1. A restauração de Israel

O Senhor prometeu que, nos últimos dias, Êle retiraria os filhos de Israel de entre as nações onde se encontrassem (Oséas 3:5; Jeremias 31:31-34; Ezequiel 36:22-25; 37:21). Um aspecto importante da restauração é a situação da cidade de Jerusalém. De acôrdo com Lucas 21:24, Jerusalém seria pisada pelos Gentios até se cumprirem os tempos dos Gentios. A  reconquista física da Jerusalém bíblica (a Cidade Velha) ocorreu em 1967, durante a Guerra dos Seis Dias, que constituiu o prelúdio da sua restauração política como cidade capital eterna e indivisível de Israel, que ocorreu em Agosto de 1980. Êste último acontecimento inaugurou a geração terminal da presente dispensação (Lucas 21:32). De acôrdo com a Bíblia, vai haver uma grande luta no fim dos tempos pela posse de Jerusalém (Zacarias 12:2-3; 14:2), porque Jesus Cristo vai regressar a esta cidade na Sua Segunda Vinda (Zacarias 14:4-5). Os Seus inimigos vão esperá -l’O ali, mas a batalha seguinte conduzirá à sua total destruição (Zacarias 14:12-13).Os acontecimentos em Israel são sinais dos tempos muito importantes.

2. A invasão russo-árabe de Israel

Em Ezequiel 38 e 39, descreve-se uma invasão Russo-Árabe de Israel. O cabeça da Rússia é chamado Gog, e o seu país Magog. Êste é um nome antigo para a Rússia moderna, pois refere-se à vasta área ao Norte das Montanhas do Cáucaso e do Mar Nêgro. Os principais aliados da Rússia são identificados como sendo a Pérsia (actual Irão), a Etiópia, a Líbia, Gomer (provàvelmente referência à Alemanha) e Togarmah (a actual Turquia). Indica-se claramente que êles vão  invadir Israel nos últimos dias (Ezequiel 38:4-8,16). Em Ezequiel 39 descreve-se a destruição de Gog e seus aliados.

3. A restauração da Babilónia

Apocalipse 18 refere-se a uma metrópole com o nome de Babilónia. Ela é a mesma cidade daquela que existiu nos tempos antigos, mas no tempo do fim seria restaurada à sua antiga glória. Como local do nascimento das antigas religiões pagãs do Mundo, esta cidade deve emergir de novo como sede de uma religião universal falsa. A Babilónia está situada nas margens do rio Eufrates, no Iraque.Não é coincidência que dois dos últimos capítulos da Bíblia são dedicados à Babilónia. Em Apocalipse 17 a Babilónia-Mistério é identificada e descrita como a mãe das prostitutas. Isto é uma indicação de que todas as religiões falsas originadas na Babilónia vão ser organizadas num único corpo ecuménico no fim dos tempos (Apocalipse 17:1-6). A sua residência final será a cidade restaurada da Babilónia. A renascida cidade comercial da Babilónia éstá descrita em Apocalipse 18. A Babilónia tem de ser restaurada antes da sua destruição final durante a grande tribulação (Isaías 13:19-22: Jeremias 51:61-64; Apocalipse 18:1-2,8-10,17-21).

4. O renascido Império Romano

O antigo Império Romano também tem de re-emergir no tempo do fim, como base de poder para o Anticristo. Na imagem de Daniel (Daniel 2:31-45), o Império Romano é representado pelas pernas e dez dedos. Nas visões noturnas de Daniel, a besta feroz com dez chifres na cbeça representa também o Império Romano, do qual o Anticristo há-de vir (Daniel 7:7-8,19-26). O simbolismo da besta com dez chifres encontra-se também em Apocalipse 13:1-2, que descreve o Anticristo. Destas profecias torna-se evidente que o Império Romano vai uma vez mais dominar o mundo. Compreenderá países da Europa Ocidental, da Europa Leste, do Médio Oriente e do Norte de África. A União Europeia está a expandir ràpidamente e virá a constituir o renascido Imperio Romano.

5. A Nova Ordem Mundial

O Anticristo vai ser o cabeça de uma nova ordem mundial, que inclui todas as nações. Êle vai estabelecer um império mundial, firmado em bases de poder políticas, religiosas e económicas (Apocalipse 13:2,4,7,16-18). A actual nova ordem mundial com vista à globalização, abre o caminho a esta futura dispensação.

6. Decepção religiosa

Nos últimos dias, ensinamentos heréticos promovidos por demónios vão trazer consequências desastrosas para muitas igrejas Cristãs (1 Timóteo 4:1) Ensinamentos falsos vão proliferar em toda a parte (2 Timóteo 4:3-4; 2 Pedro 2:1-2; Mateus 7:21-23; 24:4-5,11,24; 2 Coríntios11:2-4; Galatas 1:6-9; 1 João 4:1).

7. Declínio moral

No fim dos tempos vai registar-se um grave declínio moral (2 Timóteo 3:1-5).Muitos Cristãos vão também ser prejudicialmente influenciados por essa onda crescente de imoralidade (Mateus 24:12). Vai ser como nos dias de Noé e de Lot, pois a iniquidade, a violência e o homosexualismo serão coisa comum (Mateus 24:37).

8. Desastres naturais

No tempo do fim haverá um grande acréscimo de desastres naturais, como abalos de terra, secas, poluição atmosférica e das fontes de água potável, ondas de calor, tempestades de granizo sem precedentes, e queda de fragmentos de corpos celestiais em fôgo sôbre a Terra e mar, causando enormes ondas (Mateus 24:7, Apocalipse 6:12-13; 8:8-12; 11:6; 16:4,8,18-21). O tsunami no Sudoeste Asiático em 26 de Dezembro de 2004, foi um dos piores desastres naturais registados na história. Foi causado por um abalo de terra gigante no fundo do mar.Os desastres naturais vão aumentar consideràvelmente no próximo período de tribulação, causando imenso pânico e grande perda de vidas (Lucas 21:25-26; Mateus 24:21).

9. Fomes e pestilências

Fomes e pestilências vão ser comuns (Mateus 24:7), causando muitas mortes na grande tribulação. Os alimentos vão tornar-se muito escassos e caros. Pestilências, significam epidemias de doenças, que aumentarão e se espalharão descontroladamente. A Sida, podia ser uma delas.

10. Guerras

O período da tribulação vai ser um tempo de guerras sem precedentes, culminando na batalha de Armagedon (Mateus 24:6-7; Apocalipse 6:4,8; 16:13-14,16; 19:19-21; Zacarias 14:2-3, 12-13). É também descrita uma grande invasão militar a partir do Oriente, provàvelmente pela China e seus aliados (Apocalipse 9:13-19).

11. Evangelismo mundial

Um sinal de natureza positiva do tempo do fim é o do evangelismo mundial. Antes do fim chegar, o evangelho tem de ser prègado a todas as nações (Mateus 24:14). Todos os Cristãos se devem dedicar a levar a cabo tal objectivo (Lucas 14:23).

12. A ira de Deus

Os sinais dos tempos ilustram gràficamente o facto que, o Deus de amor, que deseja salvar toda a gente (1Timóteo 2:3-4), é também o Deus da ira, que julgará severamente os pecadores que se não arrependerem (Hebreus 2:3; 1 Tessalonicenses 1:10). Nós não devemos frizar apenas certos atributos de Deus à custa de outros, pois se o fizermos acabaremos por ter “outro Jesus”, que é uma invenção da mente humana (2 Coríntios 11:4) e que,consequentemente, não é Escritura. Deus não deseja que alguém pereça, mas que todos venham ao arrependimento  (2 Pedro 3:9). Pecadores não arrependidos serão julgados.

Durante a próxima tribulação, quando a ira de Deus será derramada sôbre o mundo, a maior parte dos pecadores endurecidos ficará aínda mais má, a ponto de até amaldiçoar Deus por causa de todas as pragas (Apocalipse 9:20-21). Por assim ser, não deixam a um Deus amante outra alternativa senão julgá-los. O comando que nos foi dado foi dar atenção aos sinais dos tempos, tendo em vista o facto que, no fim dos tempos, a maior parte da população mundial vai ficar mais má, mais egoista, mais imoral, menos digna de confiança e mais rejeitadora de Deus. Nós devemos evitar em todas as ocasiões juntarmo-nos aos grupos licenciosos e desregrados do fim dos tempos (Romanos 13:12-14). O mundo está a caminho da sua hora mais nêgra e também de uma grande tribulação que será sem precedentes na história da humanidade (Mateus 24:21-22). Mas, como no tempo de Noé e de Lot, o mesmo princípio permanece, que Deus nunca derrama a Sua ira sôbre os verdadeiros crentes (Lucas 21:36).

Compromisso pesssoal

Os sinais dos tempos estão a encorajar-me a estar pronto para a vinda do Noivo celestial. Pela Sua graça vou escapar aos julgamentos divinos sôbre um mundo pecador, tão certo como Noé e Lot escaparam aos julgamentos do povo vil do seu tempo. Eu abraço esta promessa, e portanto não vivo numa expectativa do Anticristo mas sim na expectativa de Cristo. Depois da verdadeira igreja de Cristo (as virgens sábias) ter partido, o Anticristo será revelado sem qualquer resistência, enganará as massas e instituirá o seu reino de terror na Terra. Compreendo que numa altura como essa, eu devo, mais que nunca antes, evitar o retrocesso espiritual e os pecados morais (Mateus 24:12), pois o poder da ilusão será muito  grande. O espírito de decepção de Satanás estará a procurar levar os Cristãos a abandonar a sua fé (1 Timóteo 4:1).Cristo está a avisar-nos por meio dos sinais dos tempos, que nos mantenhamos fiéis a Si, que estejamos  prontos para a Sua súbita vinda e  para utilizarmos o tempo que nos resta da melhor forma possível, avisando os outros  dos iminentes julgamentos de Deus.

Perguntas

1.      Qual é o significado de Israel, como sinal do fim dos tempos? 

2.      De acôrdo com Ezequiel 38, quais são os inimigos que vão invadir Israel?

3.      Sob que aspecto desempenha a União Europeia um papel, no cumprimento das profecias bíblicas?

4.      Que é a nova ordem mundial e quais são as suas três bases de poder?

5.      Descreva as condições morais e espirituais que vão prevalecer nos últimos dias.