11. A Assembleia

A assembleia (ou igreja) de Cristo, é chamada o Seu Corpo, de que todo o Cristão nascido de novo é membro (Romanos 12:4-5; 1 Coríntios 12:12-13; Efésios 1:22-23, 2:16, 3:6, 4:12,16, 5:23; Col. 1:18-24). Êste relacionamento íntimo com Jesus Cristo baseia-se no facto da assembleia estar salva (Efésios 5:25-27), comprada (Actos 20:28), santificada (Efésios 5:26-27, estabelecida (Efésios 2:19-20), construída (Mateus 16:18), amada (Efésios 5:25) e propriedade Sua (Romanos 7:4).

Ao nível local, a assembleia de Cristo é na maior parte representada por assembleias pequenas (também chamadas congregações), que atingem os seus objectivos não pelo poder, ou fôrça, mas sim pelo trabalho do Espírito de Deus. A verdadeira assembleia deve precaver-se contra falsificações humanas e alianças com o mundo, mantendo-se fiel ao seu chamamento e comissão. O que segue são as oito mais importantes características da asembleia. Cada indivíduo Cristão deve demonstrar tais características no seu potencial máximo, e na sua forma mais pura, de maneira a que a assembleia possa crescer espiritualmente, pecadores possam ser salvos, novas assembleias possam ser estabelecidas e se possa resistir à decepção dos ignorantes e aos falsos profetas.

1.  Os chamados

A palavra do Novo Testamento para assembleia ou igreja de Cristo, é eclesia – que significa literalmente "os chamados" – E refere-se àqueles que foram chamados da escuridão do pecado e perdição espiritual, para a maravilhosa luz de Cristo (1 Pedro 2:9). Através da regeneração espiritual, Deus fez dêles novas pessoas (João 3:3; Galatians 6:15). Portanto, a verdadeira assembleia de Cristo é apenas composta de Cristãos nascidos de novo. Para serem considerados membros da assembleia de Cristo, êles devem ser capazes de dar  testemunho da mudança operada nas suas vidas, com  franqueza e espontaneidade. A evidência clara da observância dêste princípio na vida do membro, encontra-se em  Actos 2:47 – apenas pessoas salvas são acrescentadas à assembleia de Cristo. Uma pessoa tem em primeiro lugar de confessar os seus pecados ao Senhor Jesus (1 João 1:9) e pôr a sua fé n'Êle como seu salvador (Actos 16:31), de forma a que Êle a torne espiritualmente viva (João 5:24). Apenas depois disso essa pessoa Lhe pertencerá e será membro do Seu corpo ou assembleia, cá na Terra.

Muitas pessoas nunca confessam os seus pecados honestamente e, assim, nunca se arrependem profundamente dêles. No seu estado de não-salvos, aderem a assembleias Cristãs mas, do ponto de vista bíblico, não pertencem à assembleia de Cristo. São crentes nominais, que apenas mostram uma semelhança de santidade (2 Timóteo 3:5; Tito 1:16; Apocalipse 3:1). O Senhor  rejeitará êstes  crentes nominais quando comparecerem em frente ao Seu trono – mesmo que tenham pertencido a denominações e possam mesmo ter prègado em Seu Nome (Mateus 7:21-23). O desacôrdo e lutas graves podem prevalecer em assembleias, se "irmãos falsos" (2 Coríntios 11:26) ali se intrometerem e pretenderem ser crentes, quando na realidade se encontram aínda totalmente dominados pela sua natureza carnal.

2. O templo do Espírito Santo

Foi comandado à assembleia de Cristo, viver vidas santas, cheias do Espírito. Os seus membros devem despir-se do velho homem e vestir-se com o novo homem (Efésios 4:22-24; 1 Tessalonicenses 5:22-24). Os membros da assembleia de Cristo devem compreender a fundo, que o Espírito Santo não lhes foi dado apenas para os convencer do pecado e os regenerar espiritualmente, mas sim também para serem o templo do Espírito Santo e viverem vidas que glorifiquem a Deus (1 Coríntios 6:19-20). O Espírito Santo deseja enchê-los e torná-los capazes de obter vitória sôbre o pecado, tentações e a carne (Galatas 5:16) dando-lhes também poder para prestar serviço no  reino de Deus (Actos 1:8; Efésios 5:18).

3. O corpo de Cristo

Ao nascermos de novo, somos batizados para o corpo de Cristo (1 Coríntios 12:13). O corpo de Cristo pode ser comparado a um corpo orgânico, em que os vários membros se suplementam mùtuamente (Romanos 12:4-8; 1 Coríntios 12:12-31). Em asociação com outros membros podem-se assim utilizar talentos e dons para a extensão do reino de Deus (1 Pedro 4:10). A assembleia local deve procurar ser o reflexo, e a representação digna do corpo unido  de Cristo e realizar o seu chamamento e obra, apenas sob o poder e orientação do Espírito Santo, visto que não podemos agradar a Deus quando trabalhamos sob o poder da carne. A autoridade para o nosso chamamento no trabalho da assembleia, pertence  apenas a Cristo, enquanto que o Espírito Santo é Quem  nos dá o poder para executar tal trabalho. Nesta posição de submissão apenas a Cristo, a vitória é-nos garantida, pois o Senhor Jesus é a nossa Cabeça, que nos chama, nos dá poder, nos guia e nos envia (Efésios 1:17-23).

4. O pequeno rebanho

O reino de Deus é-nos revelado pelo pequeno rebanho da Sua assembleia (Lucas 12:32). Os seguidores de Cristo são como um rebanho de ovelhas que é cuidado e dirigido  pelo Bom Pastor. As ovelhas dependem inteiramente d'Êle para serem levadas às pastagens verdes, para a sua protecção contra todos os perigos e para as guiar através de todas as crises e situações difíceis (Salmo 23:1-4). O pastor conhece as Suas ovelhas, satisfaz as suas necessidades e sabe livrá-las de toda a ansiedade e mal – mesmo do próprio Diabo (Mateus 6:13; João 10:14-15). O Pastor-chefe também nomeia oficiais responsáveis pelo tratamento do Seu rebanho (Actos 20:28).

5. O pilar e o terreno  da verdade

A assembleia do Deus vivo  é "o pilar e o terreno da verdade" (1 Timóteo 3:15). Uma característica clara da assembleia de Cristo, deve ser que ela pregue e mantenha a doutrina bíblica da salvação, resultando daí que os seus membros não sejam enganados. Por êste motivo, torna-se imperativo que a assembleia tenha também um ministério apologético, em que se defenda a pura doutrina Cristã contra ensinamentos errados. O pastor tem a responsabilidade de informar os membros sôbre as seitas, e de os ajudar a refutar todas as formas de decepção espiritual que possam alterar a Palavra de Deus (Judas 1:3-4). A verdade da Palavra pode libertar as pessoas do poder da falsidade (João 8:32) e, na totalidade da sua luz, desmascarar toda a heresia.

6. Discípulos de Cristo

Todos os membros da assembleia devem dedicar-se a atingir as normas estipuladas para os discípulos de Cristo, visto que essa é a única maneira de serem dignos representantes do reino de Deus na Terra. O Senhor Jesus chamou (Mateus 4:19), ensinou (Mateus 28:19; João 14:26), equipou (Lucas 24:49; Actos 1:8), e enviou (Mateus 28:19; Lucas 10:3; João 20:21) os Seus discípulos. O chamamento ao discipulado transforma a assembleia num grupo activo, marchador, dedicado à evangelização do mundo não-Cristão. Quando se formam novos grupos de crentes, devem-se estabelecer novas assembleias – mesmo que se reunam nas casas dos crentes. Durante as suas reuniões, os crentes devem ser treinados para se tornarem discípulos, capazes de prègar a Palavra por si próprios. Desta maneira, o reino de Deus na Terra será aumentado.

7. A noiva do Cordeiro

A assembleia é a noiva do Cordeiro. Por meio do processo da santificação, somos preparados para nos apresentarmos ao Noivo celestial de maneira digna, sem mancha ou nódoa (Efésios 5:26-27). A santificação, que é a preparação importante, vital para nos apresentarmos perante Cristo, engloba dois aspectos diferentes. O primeiro é a santidade pessoal. Não devemos albergar hábitos vis e pecaminosos capazes de prejudicar o nosso espírito, alma ou corpo (2 Coríntios 7:1; 1 Tessalonicenses. 5:23-24). Em segundo lugar, devemos realizar obras que agradem ao Senhor visto que "santidade"pode também traduzir-se como "separação para o serviço do Senhor". Estas devem ser obras nas nossas vidas, fruto do Espirito Santo a trabalhar através de nós. Estas obras nas vidas de Cristãos verdadeiramente dedicados, também são garantia de possuirem um traje de casamento apropriado (Apocalipse 19:7-8 e também Salmo 45:9,13-15).

8. A luz do mundo

Nós somos chamados para ser a luz do mundo (Mateus 5:14-16). A assembleia de Deus deve ser como uma lâmpada que brilha intensamente no meio da escuridão espiritual. Nós representamos o Seu reino num mundo pecaminoso, que se encontra sob a influência do Maligno (1 João 5:19). Não devemos, sejam quais forem as circunstâncias, comprometer-nos com os caminhos tortuosos do mundo, mas sim caminhar estrictamente de acôrdo  com a Palavra de Deus, para que possamos ser filhos de Deus inofensivos e inocentes, sem faltas, no meio de uma geração  torcida e perversa, entre a qual brilhemos como luzes (Filipenses 2:15). Se caminharmos  na luz da presença de Deus, a Sua luz brilhará através de nós sôbre o mundo que nos rodeia. Esforcemo-nos por nos manter junto do Senhor e por têrmos os pés ancorados na Sua Palavra. Diz o salmista: – "A entrada das Vossas palavras dá luz" (Salmo 119:130). Nós sabemos qual é a fonte da luz, isto é o Senhor Jesus e a Sua Palavra,e somos instruidos no sentido de fazer com que essa luz brilhe no mundo. No caso de falharmos em ser a luz de um mundo nêgro, e o sal de uma Terra corrupta, o mundo deteriorará mais depressa e  será totalmente vencido pelo mal. Deus deseja revelar-Se e à Sua igreja ao mundo, e nós recebemos o comando para o fazer. Estamos nós a trabalhar para isso ?

Cometimento pessoal

É um desafio e um pensamento excitante, considerar que podemos ser membros do corpo de Deus na Terra. E êsse facto devia constituir motivação para nos levar a atingir níveis mais altos de santificação, pureza e desejo de servir o Senhor. Devemos ter sempre em mente,  que Jesus Cristo é a Cabeça da Igreja e que o seu lugar não pode ser ocupado por um ser humano de posição. Queira Deus que nós nunca retrocedamos  ao nível da igreja de Efeso, a quem  Cristo disse: –"Tenho isto contra ti – que abandonaste o teu primeiro amor" (Efésios 2:4). Possamos nós antes aceitar o desafio de sermos como a igreja de Filadelfia, que guardou a Palavra do Senhor e não negou o Seu nome (Apocalipse 3:8). "Lutemos esforçadamente pela fé que em tempos  foi dada aos santos" (Judas 1:3). Dedico-me à causa de "servir o leite puro da palavra" às gentes (1 Pedro 2:2), evitando sempre ensinar os comandos dos homens (Marcos 7:9,13). É também a responsabilidade de todos nós, treinar mais discípulos, de forma a que o evangelho da salvação possa chegar livremente aos não-salvos (2 Tessalonicenses 3:1).

Perguntas

1.    Quem são e o que são os chamados?

2.    Será que uma denominação é necessàriamente parte do corpo de Cristo?

3.    Que é o corpo de Cristo e como é que funciona?

4.    Descreva a assembleia como noiva de Cristo.

5.    Como pode a assembleia ser a luz do mundo?